Skip to main content

Um ser adulto, solteiro e realizado

Várias pessoas têm o medo enorme de ficarem sozinhas e arrumam qualquer relacionamento. Este medo evolui para sentimentos de solidão e possessividade. Estar solteiro não significa que sou um fracassado na vida. Estar solteiro é apenas ter um tempo para mim mesmo e ajeitar as coisas que precisam ser ajeitadas. Eu pretendo ter um relacionamento, mas entenda, não é todo mundo que quer ter um relacionamento. Ninguém é melhor ou pior por querer um relacionamento ou não. 

Relacionamento envolve amor e responsabilidade. Conviver com outras pessoas e ter uma conexão com alguém sempre tem um preço. Convivências possuem riscos, risco de separações, traições ou sofrimentos. Mas por outro lado, se espera o amor, companheirismo e momentos bons. Cada um joga os pesos na balança e vê o que é melhor para a vida. 

No momento não me vejo com estabilidade emocional e não tenho maturidade suficiente para me relacionar de maneira mais profunda. Quero focar nos estudos, lutar para sair desse ciclo de pobreza e entrar no ciclo da virtude, essa é a minha prioridade. Nem todo mundo tem como prioridade ter um relacionamento! 

É muito triste ter conhecidos que estão namorando só para dizer que tem alguém. Estar com alguém deve ser um ato verdadeiro, estar do lado de outrem só por uma afirmação social mostra uma vida sem sentido. Quando fazemos algo que envolve outras pessoas, os problemas podem ser multiplicar de maneira assustadora. 

Se um dia eu achar o amor da minha vida, mesmo se não for o amor da minha vida, mas alguém que compartilharei parte da história, pretendo ser discreto e evitar a interferência dos outros. A felicidade pode ser compartilhada em círculo social mais íntimo, não é necessário registrar tudo publicamente. 

Sociedade, eu estou realizado. Não preciso namorar apenas para dizer o que sou ou que não sou, o que sou capaz ou não.  

Falsos profetas e motivação de ir em igrejas

As igrejas de cunho protestante no Brasil tomaram um caminho preocupante. Todos sabemos que o mundo possui muita gente egoísta e que muitos membros de igrejas não saem desse perfil. Depois de adulto consegui visualizar muita coisa que não conseguia enxergar na minha infância e adolescência. É difícil enxergar quando queremos deixar um lenço amarrado na nossa cabeça tampando nossos olhos.

A verdade é que, muitas pessoas vão à igreja, pois se não fosse isso, não teria outra coisa para fazer da vida. Ir à igreja não é uma atitude ruim, acontece que, não adianta ir à igreja e não viver em consagração. Se a pessoa se considera religiosa, o fator principal deveria buscar o amor de Deus e tentar se espelhar nesse amor, não ir em um templo apenas para ter um ponto de encontro social. Não adianta ter um terço, uma bíblia ou um amuleto considerado importante e tratar os outros com grosseria, não ter boa relação dentro de casa e desrespeitar o direito do outro. Odeio ir à igreja e ter que aguentar os cumprimentos falsos, durante a semana, estas mesmas pessoas não olham para a minha cara. Para mim tem duas opções, ser sempre simpático com todos ou mostrar a verdadeira personalidade em qualquer lugar (não ser obrigado a cumprimentar alguém como espécie de imposição).

Outra coisa que aprendi é que muita gente vai nas igrejas por ambição. Quando ligo a televisão e coloca em um canal com um culto evangélico, a maioria dos canais só mostra histórias de superação, pessoas que perderam tudo e depois recuperam a riqueza, pessoas que conseguiram sair da pobreza por causa do milagre de Deus. Parece que o único assunto é prosperidade. Acredito que a vida financeira das pessoas pode ser transformada, mas creio que outras mensagens relevantes poderiam ter mais evidência. Não ouço culto falando sobre amor, falando sobre trabalho duro ou como prevenir certas coisas para evitar sofrimento. É muita pressão que é imposta para entregar o dízimo, “Você quando planta pode receber o dobro ou o triplo”. Dízimo é algo que deve ser entregue se a pessoa se sente bem fazendo isso (Deus sabe como são as pessoas), não quando espera mais dinheiro e bens como retorno. Somos recompensados pelas ações que fazemos. Nem sempre o que precisamos é de algo físico, apenas paz e felicidade pode confortar a vida de muitos os que estão sofrendo.

Os falsos profetas conseguem controlar a vida de milhões de pessoas sem que elas se deem conta disso. Está se chegando a certo ponto, que está tendo uma infiltração nos órgãos políticos. O controle está se dando em vidas que não tem vinculação com a religião dos líderes políticos/religiosos. Direitos de escolha individuais estão sendo retirados e está sendo criado um efeito reverso. A sociedade parece que cada dia está mais caótica e pior. Se as pessoas fossem tão religiosas como se mostram, a situação não estaria do jeito que está.

Além das celebridades vazias, parece que vários falsos profetas estão se tornando os próprios deuses para seus fiéis. Agora uma camisa ensaguentada faz milagres. Me pergunto onde está a preocupação com a oração, o jejum e a caridade. Parece que as coisas importantes estão sendo esquecidas. 

A romantização das relações familiares

Há um mito em acreditar que todas as famílias têm uma relação saudável. Parte da população não sofre nenhum tipo de violência ou de carência de amor, mas isso não significa que em todos os lares acontece tal fato. Se tivéssemos famílias mais estruturadas, o mundo não estaria do jeito que está.

Parece que há a obrigação da mulher de ser mãe, e que todas as mães fazem tudo por seus filhos. Não existe um manual pronto de como ser mãe e não é todo mundo que está disposto a ter filhos. Muitas das gestações não são planejadas e muitas vezes não se tem condições psicológicas e financeiras de se ter um filho. A presença de uma criança faz com que certos hábitos e costumes sejam mudados, acontece que, não é todo mundo que está disposto a mudar os seus hábitos.

É muito triste ver crianças jogadas na rua, tendo que amadurecer de maneira rápida para enfrentar as diversidades da vida. Imagina quantas crianças passam frio e fome a noite, porque os pais foram na balada com os amigos. A família padrão está longe da realidade de muita gente. No Brasil acontece um fato muito triste, os pais abandonam os filhos, e há uma tentativa de culpar as mulheres pela gravidez. Um filho não se faz com apenas uma pessoa (em uma relação sexual), então a obrigação não deve ser de apenas uma pessoa. Ainda bem que hoje já tem leis e ferramentas que permite que o direito da criança seja respeitado. Existem estas leis, pois se não as tivesse, com certeza muitos irresponsáveis não arcariam com seus compromissos. Ainda bem que a ciência conseguiu desenvolver o teste de DNA, para ter uma certeza de resultados.

Algo que não se paga é o amor. O abandono que vemos em nossa sociedade mostra que não existe amor automático de alguém por seus descendentes. Isso é uma mentira que as pessoas devem parar de acreditar, a vida não é uma novela perfeita onde o mocinho faz de tudo pela mocinha. Não é todas as pessoas que são capazes de amar, pode acontecer dos pais amarem e fazer de tudo por seus filhos e mesmo assim serem abandonados em algum momento da vida.

O lar é a primeira etapa da sociedade, nele que se pode ter uma visão de mundo para o resto da vida. A herança é um fruto muito evidente das relações sociais ao longo do tempo. Vemos que no longo prazo como há uma tendência da pobreza e falta de amor ficar maior, por outro lado a riqueza e um estilo de vida mais confortável pertencer no cotidiano de menos gente.

Um conceito que acredito que é errado: Fazer de tudo pela família. Não devemos fazer de tudo pela nossa família, devemos primeiro priorizar quem nos ama. É natural pensar que quem nos ama é a nossa família, mas isso não pode acontecer em todos os casos. Para que sacrificar tempo, dinheiro e saúde com pessoas que não tem afeto com você?