Skip to main content

O que foi 2017 e o que esperar de 2018

2017 foi um ano muito estranho para mim, parece que meu senso de dimensão de tempo mudou completamente. Agora a minha cabeça está dividida por semestres, pois é assim que são os ciclos da universidade. Nem lembrava o que tinha feito no início de 2017, parecia que foram coisas que aconteceram há dois anos. No começo de 2017 ainda estava morando em um bairro chamado Jabour, no começo do ano começou uma crise de violência, me mudei para outro bairro, depois me mudei de novo… Enfim foi uma loucura. No começo do ano passado ainda era um cristão convicto e ainda ia na igreja em alguns finais de semana. Pareciam que as coisas estavam muito distante do tempo atual.

2018 vai ser um ano de disciplina e de enfrentamentos de medos. Fui na praia com a senhora que alugou o quarto da casa dela para mim, pensei em ficar em casa e dormir. Eu odeio morar no apartamento dela, ela fala alto, fala muitas coisas negativas e tem um jeito muito arrogante, mas não pretendo mudar por agora, mudar é um processo cansativo. Melhor morar com ela do que arriscar e viver com usuários de drogas ou em frente a usuários de drogas, lidar com alguém difícil pode servir como um ensinamento. Chegamos perto da praia, ela se sentou à mesa em um bar perto dos amigos dela, eles pareciam ser do mesmo jeito, escrúpulos e arrogantes. Fui dar uma volta no calçadão. 

A praia não estava tão cheia como pensei que estaria. Começou a chover e caiu um monte de raio no final de 2017, quando virou o ano parou de chover. Vi os fogos no pier, perto da estátua de Iemanjá (reparei que pintaram a estátua com uma cor de pele mais escura). Reparei alguns sinais de como será meu 2018, agarro e acredito nas realizações que posso ter nesse novo ano. 

2017 foi um ano que comecei a criar patrimônio, consegui um estágio ótimo, dei mais passos na minha graduação e comprei muita coisa que queria. Em 2018 vai ser um ano que gostaria de vivenciar mais experiências e conhecer pessoas que me façam me sentir mais em paz. 

Candidatos a presidência do Brasil para 2018

Estamos em uma época muito delicada na política. A descoberta de vários casos de corrupção abalou ainda mais a confiança do governo. Muitas pessoas tinham a esperança que o país iria melhorar depois da saída da Dilma Rousseff, mas a situação não pareceu mudar muito. 

O governo Temer impôs reformas e mudanças, mas tais propostas não foram realizadas de uma maneira muito democrática. De certo modo, o PMDB quis mostrar competência, mas este partido é incompetente como todos os outros. 

Vendo que a situação ainda está péssima e que o Brasil vai ter difícil recuperação, já está se mobilizando chapas para eleger um novo presidente para a próxima eleição. 

Um nome forte para o PT é o Lula. Eu não gosto do estilo dele, ele sabe como manipular as camadas das populações mais pobres. Uma coisa é fato, Lula sabe falar muito bem e também sabe lidar bem com o público. Dilma não falava nada com nada e era péssima líder. 

O PSDB provavelmente vai indicar o atual prefeito de São Paulo, João Doria. Doria é um excelente profissional e um ótimo gestor da área privada. Trabalhar no serviço público é diferente de gerir uma empresa, não sei se ele vai conseguir se adaptar na política e ter progresso. O Aécio Neves parece que é carta fora do baralho, há muita polêmica envolvendo o nome dele com o uso de cocaína. Não pesquisei o caso mais afundo, mas não duvido mais de nada. 

O PMDB provavelmente vai se mover para ficar no poder. A imagem deles vão ficar um pouco abalada. Principalmente pelas políticas de Temer e pelo elitismo na política ter ficado mais evidente do que nunca nesses últimos anos, algo que desagradou bastante a população. 

Bolsonaro é a esperança de muita gente, várias pessoas acreditam que o país vai melhorar se ele for o novo presidente. Vamos ver qual vai ser o próximo passo para os próximos anos.