Skip to main content

Resenha do filme A Rede Social

Avalie este post

A rede social filme história do Facebook Ramon Cristian 1024x683 - Resenha do filme A Rede Social

O filme A rede social já é antigo, mas só assisti ele recentemente. Ele conta a história de como surgiu e foi fundada uma das maiores empresas da atualidade, o Facebook. Obviamente que nenhum filme vai tratar a realidade de maneira verídica, sempre há uma dramatização para ter mais repercussão.

Muita gente justifica que não precisa estudar porque muitos dos maiores bilionários não estudaram. A verdade é que, sim, eles estudaram. A maioria deles entraram nas melhores universidades do mundo. O negócio deles estavam em certo nível que eles usavam o tempo apenas para dedicar em seus projetos. 

Eu tenho as minhas dúvidas sobre a integridade moral de Mark Zuckerberg. O filme tenta indicar isso, mas para mim ainda é uma questão concreta. Tenho a impressão que ele pega a ideia de outros projetos, o transforma como sua propriedade e não dá os devidos créditos para quem deveria. 

Mark Zuckerberg me dá um pouco de medo, parece que ele sabe muito bem algum jeito de controlar as pessoas e destruir concorrentes. Não é a toa que de algum modo ele está dominando a internet e seus serviços influenciam a vida de bilhões de pessoas. 

O filme quer mostrar a figura de Mark como uma pessoa má. Mas acredito que o que realmente aconteceu em muitos episódios na construção do Facebook foi divergência de opiniões. Mark tinha um conceito de negócio muito diferente do Eduardo Saverin. Era óbvio que em algum momentos haveria conflitos de interesse. 

Deu para aprender algumas coisas com o filme. Sobre como devemos ter paixão por algo e não se preocupar com muita coisa para os projetos fluírem melhor. É necessário coragem para desistir de algumas áreas da vida em prol da construção de algo que vemos que pode mudar o mundo de alguma forma. 

A rede social ficou uma história muito distorcida, mas deu para ter noção de certos acontecimentos. 

 

Ramon Cristian

Estudo Ciências Econômicas na UFES. Sou apaixonado pela cultura asiática. Pretendo ensinar, mas sem deixar o espírito empreendedor de lado. Quero me especializar na área financeira ou desenvolvimento econômico. Sou fascinado por todos os temas que mostram a expressão humana, como arte, literatura, cultura e moda.