Skip to main content

Medo, escuridão e perseguição em uma cidade desconhecida

Avalie este post

Uns dias atrás sonhei que estava com alguns amigos em uma cidade desconhecida. Eu estava com muito medo de estar naquele lugar, estava tendo sensações que eles não sentiam. Estávamos em uma galeria, um corredor enorme com várias lojas, no corredor tinha áreas que não eram cobertas, parecia um rocambole fatiado. Parece que eu escutava as vozes das pessoas na minha mente falando basicamente de um mesmo assunto. Parecia algo muito importante que estava fazendo surgir rumores e mais rumores, mas as pessoas estavam muito discretas e disfarçando para não aparecerem apavoradas. Todo o cenário foi em um crepúsculo onde o sol quase estava dando adeus, as vezes era difícil ver o rosto das pessoas. 

Depois lembro de todo mundo encolhido em um hotel, lá tinha televisão e todas as máquinas de cozinha que se possa imaginar. Eu vi que estava treinando para voar, uma habilidade que estava tentando desenvolver, lembro dos meus pés. Tinha um anel em cada segundo dedo do pé (contando o dedão como primeiro), o dedo mindinho era bem grande, sendo do mesmo tamanho do dedão em questão de comprimento. Os pés formavam uma espécie de “u”. Estava me esforçando muito para poder flutuar. Todo mundo estava tranquilo no hotel, eu sai e voltei para a galeria. Parece que vi uma espécie de dinossauro-robô. Cada vez ficava mais escuro. Eu tentei achar um caminho que considerava menos perigoso, fui em direção a um banco, pulando em cima da estrutura, nesse momento um rapaz me viu. Ele me pediu dinheiro, eu disse que não tinha (falei que uma mulher de um amigo estava doente, mas não estava doente, foi algo nesse sentido, eu disse algo e depois me contradisse). O moleque ficou com raiva e começou a correr atrás de mim, parece que ele estava acompanhado com capangas. Tentei usar minhas habilidades de voo, mas eles estavam quase me alcançando. Depois disso acordei. 

Ramon Cristian

Estudo Ciências Econômicas na UFES. Sou apaixonado pela cultura asiática. Pretendo ensinar, mas sem deixar o espírito empreendedor de lado. Quero me especializar na área financeira ou desenvolvimento econômico. Sou fascinado por todos os temas que mostram a expressão humana, como arte, literatura, cultura e moda.