Skip to main content
Soap melanie martinez mv Ramon Cristian - Fanfiction - Sabão - Melanie Martinez - Capítulo 6

Fanfiction – Sabão – Melanie Martinez – Capítulo 6

Avalie este post

Melanie entrou na universidade, todos ficaram felizes com a notícia. Ela escolheu fazer Artes, focando na especialização em mídias digitais. Ela por ser muito tímida, não conseguiu fazer muitas amizades de início. Sua mente estava um pouco carregada, lembrou dos momentos de infância, quando estava brincando com a casa de boneca e ouvia os gritos da mãe na cozinha, odiava o fato de estar lembrando e sentindo saudade do garoto do alfabeto. Ela queria parar toda esta negatividade que estava a afetando. Na universidade, ia ter uma festa para os calouros. Festas com muita gente, era algo que a cry baby evitava, mas, ela por algum motivo queria ir nessa festa. A cerimônia foi bem tranquila, em um estilo bem formal, o reitor, os professores e pesquisadores deram palavras de incentivo aos alunos.

O começo do cronograma seria no auditório, seria o lugar que o reitor faria o discurso inicial. Do seu lado, sentou Johnny, que era do mesmo curso. Ele era muito tímido, em um estilo bem nerd. Eles olharam uma para o outro de relance. O clima de amor estava no ar, Johnny estava doido para falar com a cry baby, mas suava de nervosismo.

Depois de alguns minutos, saiu todo mundo do auditório, em direção a quadra poliesportiva, aonde ia acontecer os comes e bebes, ia ter música ao vivo e cada um tinha uma cadeira reservada. Por coincidência Melanie ficou na mesma mesa que o Johnny. Quando alguém da mesa ia começar a puxar assunto, Melanie levantou desesperada: “Desculpem-me, mas acho que tenho que voltar em casa, acho que deixei a torneira da banheira aberta e deixei o ralo tampando, se o banheiro estiver enxergado, minha avó vai brigar muito comigo”. Todo mundo entendeu a situação, um colega de classe falou que ficou desesperado por ter pensando que deixou o gás ligado. Johnny achou que seria uma oportunidade de ficar a sós com a Melanie. “Melanie se quiser posso te levar em casa, se não tiver nada errado lá, você pode voltar comigo”, disse o jovem. Ela aceitou a carona, poderia falar o rapaz que te interessava e economizaria o dinheiro do táxi.

Chegando na casa, subiram para o banheiro, realmente ele estava todo molhado. A avó da Melanie tinha saído para um encontro da terceira idade naquele final de semana, só chegaria na segunda-feira. Johnny tirou o paletó e colocou suas coisas no chão do lado de fora do banheiro para não ter o risco de molhar os documentos, tentou ajudar a Melanie naquela situação. As contas de luz e água viriam bem caras, era a água quente que estava entornando. Ele fechou a torneira, estava vazando um fio de água, mas multiplicado por horas, causou um terrível estrago. Johnny tentou puxar a tampa do ralo para tirar a água da banheira, mas parecia que estava bem cravado, ele acabou caindo dentro da água. Melanie riu da situação, ela tinha voltado no banheiro com um rodo, ela pegou na mão dele para tirá-lo de lá, mas ele puxou-a até a água da banheira, eles se beijaram na banheira. Eles tinham se encontrado naquele dia e estavam se beijando. A química entre os dois era bastante forte.

Estava bastante frio, a água da banheira já estava fria. Ela desenroscou a tampa da banheira, Johnny apenas puxou, mas aquele modelo primeiro tem que desenroscar. O rapaz ainda estava lá dentro, tremendo de frio. Ela encheu novamente a banheira com água quente com os dois lá dentro, ela delicadamente retirou a roupa dele, mas agora ele estava tremendo por outro motivo. Ele estava nu dentro daquela água, ela disse que voltaria em breve, ela tinha ido pegar sais de banhos e toalhas limpas para depois se secarem, colocou na água os sais verdes, uma quantidade enorme de sabão subiu. Ela retirou o vestido molhado, entrou nua dentro da banheira. Os dois ficaram abraçados dentro daquela água quente. Nunca esperaria que isso iria acontecer, dois calouros em uma auditório, momentos depois estariam nus dentro de uma banheira. Melanie tocou suavemente as costas de Johnny, fazendo uma massagem de maneira bem delicada.

Melanie se sentiu culpada, falou que não poderia estar fazendo aquilo. Pois estava com os sentimentos balançados, não sabia se poderia gostar do Johnny, pois tinha outro que tinha passado na sua vida que não tinha superado, pois não tinha sufocado este amor. Ele ficou chateado com aquilo, estava com uma mulher que parecia interessante, e ela falou do amor que tinha por outro. Melanie viu a gravidade das suas palavras, a sua maior vontade no momento era ter lavado a sua boca com sabão.

Johnny se levantou, pegou uma toalha, vestiu suas roupas molhadas e disse que era o momento de ir. Ele disse que em outro momento eles poderiam conversar. Melanie toda envergonhada disse que tudo bem. O viu indo embora pingando pela casa até chegar no seu carro. Refletiu, era melhor não ter falado o que guardava dentro de si. Sua vontade era pegar uma torradeira, jogar na água e morrer eletrocutada. Talvez seria a primeira vez que um relacionamento não seria baseado em jogos, tudo aconteceu tão naturalmente, não poderia perder esta oportunidade.

Ela teria coragem, iria consertar este erro. O amor de Johnny poderia ser muito valioso na sua vida. Ele não a fez de trouxa ou de burra. No caminho para a casa da avó de Melanie, tiveram uma conversa muito boa. Descobriram que tem gostos em comum, que Johnny é muito focado, é tímido como ela, no começo pareceu que ia ser difícil um diálogo, mas depois falaram como nunca. Melanie estava cansada de lembrar sobre o passado, como que tinha que ficar quieta quando criança, para os pais não brigarem com ela, como sua primeira paixão acabou em vácuo, como o garoto do alfabeto a menosprezava.  

Ela aproveitou aquela noite, limpou toda aquela bagunça. Viu que Johnny tinha deixado os documentos dele porta do banheiro, sabia que iria reencontrá-lo, entregar os seus pertences seria um modo de iniciar uma conversa e tentar uma aproximação.

Ramon Cristian

Estudo Ciências Econômicas na UFES. Sou apaixonado pela cultura asiática. Pretendo ensinar, mas sem deixar o espírito empreendedor de lado. Quero me especializar na área financeira ou desenvolvimento econômico. Sou fascinado por todos os temas que mostram a expressão humana, como arte, literatura, cultura e moda.