Skip to main content

Tempo perfeito e passeio com um amigo

Ontem tive o dia bem abençoado. Fiz comida, tirei cópias de alguns documentos e mais no final da tarde sai com um amigo. 

Fomos ao Shopping Vitória e foi bem legal. Ele ficou me perturbando, querendo que eu fizesse natação com ele e com outro amigo nosso. Eu disse que estava sem roupa de banho, ele falou que ia comprar para mim. Não estava acreditando muito, pois ele fala muita bobagem. 

Realmente, fomos ir comprar a roupa para natação. Esperei ele em frente ao cinema, depois ficamos rodando o shopping. Tinha uma exposição de carros antigos bem interessante, pena que não levei minha câmera para tirar foto. Entramos em várias lojas e acabamos finalizando as compras na C&A. Ele queria umas blusas muito feias, falei que estava feio, depois ele trocou por umas peças melhores. 

Depois disso ele pagou o jantar para nós, estou evitando comer glúten e foi bem difícil achar algo para comer. Comemos arroz, feijão, farofa, alface, cada um escolheu uma opção de carne e de bebida tinha um refrigerante pequeno. 

Fomos nas Americanas, ele comprou uns doces e me deu uma bala de gelatina sem açúcar. 

Normalmente eu não aceitaria nada de ninguém. Pois eu teria que retribuir o que as pessoas fizeram por mim de alguma forma. Eu via isso como um fardo, mas agora estou aprendendo a receber e que entregar deve ser uma ação natural, não é um peso ou algo ruim.

Eu agradeço este amigo por ter saído comigo, ter amizades significa que você não está sozinho e pode ter alguém com quem contar. 

Ontem o tempo estava perfeito, não estava quente, nem muito frio. Quando fui embora começou a chover um pouco, mas deu para voltar para casa sem muito transtorno. Eu fui no shopping de bicicleta, na volta fui dando umas paradas e comendo a bala de gelatina, foi uma das melhores balas que comi na vida. Esta bala tem uma consistência muito boa e um sabor bem realçado. 

Dependência das redes sociais – Preso no ciclo

Eu peguei a fase de transição de uma sociedade da televisão para a sociedade da internet. Hoje pode perceber que os assuntos relacionados a conteúdo posto na internet estão aumentando, enquanto os assuntos relacionados a televisão estão caindo. 

Antes as pessoas no Brasil usavam muito o Orkut e o MSN. A pressão para ter essas redes sociais não era muito grande, pois a internet não era acessível a todos, ter internet e se comunicar com ela era um item de poder social a mais. Nessa época lembro que na vida real era muito valorizado usar cordão e anéis de prata. O “boom” da internet foi os planos da GVT (que foi comprada pela Vivo) que revolucionou o acesso da internet naquele momento. 

Lembro que conversava por MSN, tanto com familiares, como com colegas de sala. Quando se estava afim de alguém, pedia o e-mail da pessoa para conversar por MSN. Me questionavam por não ter redes sociais, até que fiz uma conta no Orkut. Menores de idade não poderiam ter conta no Orkut, mas várias crianças e adolescentes tinham conta nessa rede social. 

O Orkut afundou e todo mundo migrou para o Facebook. Quando saí do Orkut para o Facebook deletei a minha rede social virtual antiga. Com o tempo ter uma rede social foi ficando um fator importante. Aqueles que não aderem a alguma rede social virtual é visto como estranho, suspeitando até que a pessoa é muito antissocial, tem algo para esconder ou faz atividades ilícitas. Até algumas empresas no momento pedem redes sociais dos seus candidatos para poderem analisar a vida dos possíveis funcionários. 

A vida está ficando menos privada. Surgiu uma tendência de mostrar nas redes sociais que a vida é totalmente perfeita. Algumas vezes só conseguimos comunicar com alguém via rede social. Praticamente alguns serviços viraram uma extensão da própria existência. Isso pode se mostrar um pouco perigoso, talvez estamos imergindo em um vício de difícil visualização. É como o cigarro, no início é algo chique, glamouroso e legal, mas no final se mostra maléfico e uma atividade não saudável. 

Conhecendo um pouco mais a zona rural de Montanha

Eu não consegui carona para ir em Montanha, tive que comprar passagem e ir de ônibus. Não consegui passagem depois da aula no dia 20, pois todos os ônibus estavam lotados. Sai da fila e já estava indo para o ponto de ônibus, pensei melhor, voltei para a fila e comprei a passagem para o próximo dia.

Peguei o ônibus e cheguei na cidade de madrugada. Acordei, me arrumei, pois minha mãe disse que íamos para a zona rural. Uma amiga dela mudou da cidade para uma fazenda. O terreno do proprietário daquela terra era enorme. Aceitei a aventura de subir uma pedra e ver a cidade de Montanha por cima. Passamos por um caminho onde não tinha vacas. Parece que houve um incêndio na pedra que subimos e a vegetação estava renascendo. 

Eu e meu irmão estávamos de bermuda e chinelo, não são os melhores trajes para adentrar numa região com mato. Nós ficamos com as pernas coçando e o braço dele ficou vermelho. Tivemos que tomar muito cuidado quando chegamos na pedra, pois lá tinha muitos cactos, e qualquer vacilo poderíamos ficar cheio de espinhos. O rapaz que nos guiou mostrou umas pedras que de acordo com ela já era território de Minas Gerais.  

Ficamos lá até a noite. Minha mãe pensou que os trabalhadores daquela fazenda iam embora no final da tarde para a cidade, mas não sei o que aconteceu, que não conseguimos ir embora. Íamos no outro dia, ia ficar uma situação muito chata, pois não tínhamos levados roupas, escova de dente, nem nada. 

É interessante ver como que dá a configuração hierárquica da zona rural. As relações são mais evidentes do que na cidade. Lá tinha a casa do dono da fazenda, toda murada e enorme. E no mesmo terreno, morava seus funcionários, com casas simples.

Dez bênçãos pelas quais sou grato

1- Sou grato por ter a oportunidade de estudar em uma universidade federal, tendo um curso superior, posso abrir mais portas. 

2- Sou grato por ser monitor de uma disciplina na graduação, estou aprendendo a me comunicar e posso conhecer novas pessoas. 

3- Agradeço por ter minha mãe presente na minha vida, ela me ajuda muito e espero retribuir. 

4- Agradeço por ter uma moradia, sou abençoado por conseguir um lugar com água, energia, internet, gás e limpeza incluso no aluguel, e consigo pagar um preço bom. 

5- Fui contemplado em ter uma sala no prédio de Economia, onde posso estudar de maneira tranquila. 

6- Sou grato pelas pessoas a minha volta que me ensinam lições valiosas. 

7- Agradeço por estar nesse planeta, pretendo buscar os melhores modos de aprender e extrair o melhor do mundo.

8- Sou grato por ter o que comer e beber, a alimentação é um fator muito importante para manter a vida. 

9- Agradeço por ter o que vestir, de tempos em tempos, posso trocar o vestuário. 

10- Sou grato por ser jovem e ter muito tempo para poder aprender e passar algum conhecimento. 

25 de abril de 2017

1- A consciência me ajuda a caminhar e me mostra o caminho certo e errado, agradeço por este instrumento tão importante que nos acompanha durante a vida.

2- Agradeço pela chuva que chega, molha a terra e fez a vida reflorescer.

3- A invenção da internet foi algo que me ajudou a ter acesso a conhecimentos que provavelmente seria mais difícil.

4- Sou grato por ter oportunidade de aprender outros idiomas, estou agarrando esta oportunidade e quero ficar fluente em outras línguas e poder se comunicar com mais pessoas.

5- Obrigado músicos, coreógrafos e dançarinos que animam a minha vida, a arte relaxa a minha mente e me completa.

6- Todos os meus professores são muito importantes, cada um tem um jeito de ensinar uma visão e isso me ajuda a ver vários lados de uma história.

7- Sou grato por poder morar em uma das cidades com melhor qualidade de vida do Brasil.

8- Agradeço a todos que trabalham para proteger os membros da sociedade. Estas pessoas ajudam a manter certo grau de tranquilidade e evitam o caos total.

9- Agradeço a todos que tem empatia comigo e me aceitam, mesmo sendo imperfeito e tendo muito o que melhorar.

10- Sou grato, por ter um meio de preservar parte do meu tempo aqui nessa planeta.

Bênção do dia: Consegui terminar de resolver as provas antigas que a professora de Estatística nos deu como revisão.