Skip to main content

Semestre acadêmico puxado e prática do foco ao extremo

O semestre mal começou, mas deu para perceber que vai ser bem puxado e difícil. Não posso dar o luxo de deixar nada acumular. Vou fazer de tudo para fazer os exercícios e deixar as leituras em dia. Vou ficar um período sem ler assuntos fora da graduação, minha mente tem que estar totalmente focada para a Economia. Apenas dedicarei um tempo para escrever um pouco das minhas experiências na web, um tempo para estudar mandarim no Memrise e aprender conteúdos referentes as minhas matérias.

Com o tempo aprendi que tenho que ser mais político. Lidar com outras pessoas não é uma arte fácil. Alguns indivíduos não entendem opiniões diferentes e contrárias, e podem ficar bem irados quando não são vistos como interessantes. Sinto que lido com gente mimada, que apenas cresceu e não deixou estes traços infantis. 

Tenho que aprender a alinhar os estudos com as expectativas que os outros tem. Fico grato por ter visto certas situações, isso me fez mais forte e mais confiante. Esta experiência pode me desenvolver e me deixar mais focado. 

Evitarei ao máximo repetir erros passados, tenho que superar, evoluir e vencer os novos desafios. Estou trabalhando a minha mente para ver as coisas mais claras e estou sendo treinado para lidar com ambientes com muita pressão. No mercado de trabalho e no empreendedorismo provavelmente também estarei em ambientes com muita pressão por causa da competição. Competição esta que é uma amostra da sociedade da guerra que vivemos. 

Nestes últimos meses levantei a cabeça e vi que sou capaz. Não posso deixar o medo me paralisar. Este semestre da graduação não quero ficar com nenhum arrependimento. Darei o melhor de mim e o que for será. Não posso me prender a números como se eles fosse eu. O mais importante é o aprendizado, e como o conhecimento pode erguer abundância e prosperidade. 

Tomar Saw Palmetto ajuda na queda de cabelo, vale a pena?

Procurando métodos para evitar a queda de cabelo, encontrei o Saw Palmetto (Serenoa Repens). Consegui encontrar no Mercado Livre. 

Na embalagem diz que a composição média por cápsula é de 500 mg. Nas instruções tem uma recomendação dizendo que é para ingerir de 1 a 2 cápsulas até três vezes ao dia. Nas precauções está informando que o produto não deve ser consumido por gestantes, lactantes e crianças, exceto por supervisão médica. 

Comprei três frascos por R$51,90. Cada frasco tem 60 unidades. 

Eu achei  a cápsula muito grande, então decidi tomar apenas duas unidades por dia. Vi que fazendo isso não estava tendo efeito nenhum. Aumentei a dose para quatro unidades diárias. Quando dobrei a dose, vi que realmente a queda de cabelo ficou menos acentuada, mas não foi uma mudança enorme. 

Depois de um tempo comecei a sentir dores no estômago e estava sem saber o porquê. Depois que parei de tomar o Saw Palmetto, parei de sentir desconforto estomacal. O produto pode funcionar, mas esta marca que eu usei, a Line Ervas, talvez não seja muito boa. 

É melhor não arriscar e comprar uma marca importada. A maioria das marcas que vi tem que tomar várias cápsulas por dia, acho que isso é uma coisa muito ruim, pois tem que ter aquele compromisso, como se tivesse a necessidade de tomar um remédio controlado.

Cada organismo é diferente. Talvez não me acostumei com o Saw Palmetto ou com a marca. Vou fazer uma experiência com óleo de coco. Se der certo (ou se não funcionar) vou relatar para vocês. Se todos os métodos naturais derem errado, minhas últimas esperanças são o minoxidil e a finasterida. 

Eu assisti um vídeo onde o médico Lair Ribeiro não recomenda que pessoas jovens consumam Saw Palmetto, pois isso pode afetar a vida sexual, pois o Saw Palmetto pode ter efeito androgênico. 

O mais importante é pesquisar e tomar uma decisão. 

O escândalo da adulteração da carne – Isso é mais comum do que se imagina

Duas empresas brasileiras muito importantes estão sendo investigadas por suspeita de adulteração dos seus produtos. Era feito uma manobra para poder reaproveitar carne estragada e colocar os produtos no mercado como algo fresco. 

Hoje se busca o lucro de tal forma, que toda ética é jogada privada a baixo. Isso não é culpa do sistema, é falta de caráter mesmo. Há muitas empresas que providenciam produtos de qualidade e que não são valorizadas. Somos muito induzidos a comprar por causa das propagandas das principais marcas de um setor. 

Deveríamos nos preocupar menos com quantidade e valorizar mais a qualidade do que vestimos, temos e comemos. Tantos escândalos que vi até agora, principalmente no setor de alimentação, que é até uma motivação a mais para ter uma alimentação mais saudável. Quando menos processado um alimento, melhor. É mais confiável, mas não totalmente seguro, pelo menos diminui-se o risco. 

A melhor opção seria produzir o próprio alimento e não ficar dependendo de fontes não-confiáveis. Escândalos acontecem em qualquer do mundo. Seja o país desenvolvido ou subdesenvolvido. Tenho a impressão que no Brasil, falcatruas acontecem com mais frequência e é um motivo de preocupação muito grande. 

Não aguento mais ver episódios de adulteração de carne e leite. A Anvisa (um órgão que não acredito que é totalmente confiável) sempre está alertando para não comprar molhos de tomate com excesso de pelo de rato, salgadinhos com coliformes fecais e outros tipos de absurdos que frequentemente são noticiados.

Nos dias atuais aumentou muito o número de pessoas doentes e com algum tipo de intolerância. Não tem uma explicação exata para o que está acontecendo. A alimentação é um dos fatores chaves para entender o porquê de tanta gente estar ficando cheio de doenças físicas, com problemas na mente e inférteis.  

Temos sempre que prevenir para depois não sofrer com algum mal. As empresas têm que olhar para seus clientes e valorizá-los mais, não os tratando como produtos. 

 

Fome na cidade, escassez, bebê e fuga para a fronteira

Tive um sonho bem estranho, não é um tipo de sonho que tenho frequentemente. Sonhei que estava em um país que falava espanhol e tinha uma arquitetura parecendo um lugar da América do Sul ou Caribe. Por algum motivo este país estava em guerra ou em um cenário pós-guerra. De algum forma sabia que as pessoas ali estavam passando necessidade. 

Tudo indica que eu era um estrangeiro no local. Vi que estava em uma espécie de oficina com outros rapazes consertando um carro ou alguma máquina. Duas moças muito bonitas estava na frente da loja, dava para ver pois a porta de enrolar de aço da oficina era esburacada. Alguém destrancou o lugar e deixou elas entrarem. Elas tentaram assaltar o local, quando viu que elas não iam conseguir, uma delas começou a se cortar em uma tentativa de suicídio. Alguém a segurou. Falei que ia ajudá-las, pois sabia como fugir pela fronteira. Mostrei uma rota que ninguém conhecia, acredito que elas tentaram chegar até o local indicado. 

Depois me vi com um bebê que tinha muito amor e atenção. Olhava para aquela criança como se fosse o motivo da minha vida. Fui com alguém um supermercado, como fossemos super privilegiados de estar ali. Comecei a chorar falando que poderia sair daquele lugar, mas não queria deixar para trás pessoas que amava. Vi que estava de manhã em um quintal de uma casa que a vizinhança estava com as faixadas todas destruídas, meu objetivo era montar uma bicicleta. Por que queria montar uma bicicleta em uma lugar super perigoso?

Em um anoitecer estava na rota que tinha mostrado para aquelas duas mulheres. Era uma grande fazenda onde tinha dois homens armados. Conseguimos passar o território sem os dois homens nos ver. 

Em outra cena estava em um carro em um lugar que parecia totalmente diferente. Nós chamávamos muita atenção, todas as pessoas ali olhavam para nós dentro do carro. Parecia bem frio e estava com o tempo bem fechado. A maioria das pessoas da cidade tinham a pele bem clara. Tinha algumas pessoas negras e indígenas. O povo daquele lugar parecia ser bem pacífico e com uma convivência muito boa. 

Passei por uma espécie de parque cheio de crianças com seus pais. Fomos para um shopping, mas tinha uma coisa estranha nele, para acessar o espaço tinha que descer por espécie de bastão. Acessei outro espaço, mas não lembro o que aconteceu depois.