Skip to main content

O poder da gratidão

A gratidão é algo que deve fazer parte da vida. No nosso tempo só ouvimos falar sobre falta de tempo, carga alta de estresse, sentimentos negativos e lamentações sobre a vida. 

Muitas vezes só damos conta do que falta e não somos agradecidos pelo que temos. Cada vez mais a vida  dos seres humanos está voltada para o materialismo. Estamos em um estágio onde criamos um sociedade insaciável para o consumo, onde ter bens materiais se tornou importante instrumento de poder social. Tais condições criadas criou uma sociedade infeliz e que nunca se sente completa. 

A falta de algo atrai mais falta para a nossa vida. Isso é um ciclo terrível, pois é como tivéssemos construindo um poço que enchemos de infelicidade. O ciclo quando chega a certo ponto pode afetar o corpo com algum mal. Já reparou como tem pessoas que só vivem no sofrimento?

A gratidão não é algo vazio. A gratidão dar poder e nos enche de alegria. Quando somos gratos, gradualmente atraímos mais coisas boas e além de receber mais vitórias, aproveitamos mais as conquistas. A gratidão faz com que o foco na vida se volta para a fartura. Focar na falta não vale a pena, olhe ao redor e veja no que é agradecido. Possuímos muitas coisas que várias pessoas ao redor do mundo não tem acesso. Somos ricos em tantas coisas e devemos olhar a vida de maneira mais sutil para poder notar isso. Fortaleça o bem. 

Aprendi que não devo sofrer pela falta que um pai fez, o melhor é agradecer e ser grato pelas coisas que minha mãe fez por mim. Grato por ter alguém que cuide de mim, enquanto exitem pessoas que são largadas pelos familiares. Sou grato por poder me alimentar, estudar, ter oportunidades de buscar os meus sonhos, ter um lugar para morar e tem tantas outras coisas que sou privilegiado. 

Agradeçam mais e vejam o resultado disso com o tempo. 

Os magnatas dos negócios estão caindo

Ultimamente está acontecendo coisas que eram imagináveis anos atrás. Os grandes nomes do empresariado brasileiro não se mostram mais como exemplos de sucesso. O mundo digital revela coisas que estão ocultas por décadas, hoje em dia é difícil esconder algo no mundo conectado por rede. 

Pessoas que sabem o nome de envolvidos em atividade ilícitas, morrem misteriosamente em meios de transporte que tiveram supostas falhas técnicas. Podemos aprender com estes episódios que nem sempre é através de trabalho, esforço e inovação que uma empresa cresce e é grande no mercado, muitas vezes tem uma manipulação política muito grande atrás de tudo isso. 

A política pode manipular as regras do jogo, os governantes podem escolher quem serão os perdedores e os vencedores. O mercado está mudando muito rápido e nem todas as empresas conseguem evoluir e sobreviver no sistema capitalista. Os consumidores tem hábitos de consumo diferentes de anos atrás. Vemos que a concorrência não é justa quando o governo cria regras que visivelmente é para derrubar uma empresa ou um setor que está surgindo e crescendo. O lobby dos impérios tradicionais quando sentem uma ameaça e veem que estão caindo, contata o governo para poderem os socorrer e tentar manter o status quo de poder. O processo está tão agressivo que os consumidores percebem o que está acontecendo e não se calam. Está ocorrendo o efeito reverso, as pessoas estão odiando mais estas empresas que estão atrasando o progresso, agora a estratégia é criar monopólios ou oligopólios a força, desse modo não terá muita saída. 

Além de dificultar o surgimento de novas empresas, alguns dos grandes magnatas que caíram faziam muita maquiagem na contabilidade das empresas que geriam. Para poder pagar menos impostos e lucrar mais, subornos políticos eram muito utilizados, os órgãos competentes apenas fechavam os olhos e continuam seus percursos como nada tivesse acontecendo. 

Espero que depois da turbulência, o Brasil possa entrar em uma nova era. 

The true cost – O verdadeiro custo: O preço da moda

Quando fomos comprar algo, vamos no mercado e visualizamos apenas a mercadoria. O trabalho da produção é ocultado dos nossos olhos. Para algo ser barato e ter determinado preço, tem um preço (não monetário) a se pagar. A moda é uma indústria enorme, o seu motor de funcionamento é mostrar que as pessoas nunca estão bem do jeito que estão. O marketing induz uma sensação que é necessário comprar mais e mais. Se criou a moda rápida, onde a troca das peças aumentou em uma velocidade muito grande. A qualidade das roupas mais acessíveis não são de boa qualidade, fazendo com que sejam descartáveis. 

O documentário como esse abre a nossa percepção para poder enxergar o mundo da produção. As mercadorias não nasceram nas prateleiras, houve trabalho humano. No capitalismo, a acumulação de capital tende ir para o infinito, as empresas têm medo de perderem espaço no processo de acumulação e “morrerem” no caminho. É feito de tudo para reduzir os custos de produção e aumentar a produtividade. Acontece que, quem está na base e na parte mais baixa da cadeia produtiva são os que sofrem mais. A propaganda quer mascarar tudo e mostrar que todos saem ganhando, mas na realidade há muito sofrimento. No começo do capitalismo na Inglaterra muitas pessoas sofreram por ter que deixar seus modos de vida e se voltar para o capital para poder sobreviver. Ainda na primeira década do século XXI isso acontece, as fábricas vão mudando de lugar e se estabelecendo onde tem pessoas menos instruídas (a sociedade com baixa qualificação tende a aceitar salários baixos) e com menos regulação.

Um tema que é posto no documentário que nunca parei para pensar é sobre a quantidade de produtos químicos danosos a saúde que pode estar presente nas peças de roupa. A maior parte do algodão que é usado para a produção dos tecidos estão carregados de pesticidas. Muitas vezes as pessoas estão cheio de alergias e irritações na pele sem saber o porquê, um possível motivo para isso são as roupas que podem conter traços de produtos que fazem mal a saúde. Não sei se antes de ir ao mercado, é feito algum teste de qualidade nos tecidos para mostrar se eles são seguros ou não. Provavelmente tais testes não são realizados. 

Acredito que é visível que a época da escravidão não acabou, o proletariado dos países ou regiões mais pobres do mundo se tornaram os novos escravos. Todos tem medo de estar na parte mais baixa desse processo, como vivemos em uma sociedade de guerra, estamos sempre em competição com a expectativa de poder sobreviver neste mundo. Os países mais ricos estão vendo seus cidadãos doentes, cada vez mais cresce o número de pessoas com depressão, bulimia, anorexia e outros problemas associados a imagem. O ser perfeito está longe de ser o padrão de muita gente, até as pessoas que representam a perfeição passam por um grande processo para parecerem desse jeito. Grande parte dos modelos e artistas passam por um rígido controle alimentar, usam muita maquiagem, fazem procedimentos estéticos e quando vão aparecer em alguma mídia tem o todo cuidado com iluminação e se possível é feito manipulações em algum editor de imagem. 

Devemos ter mais consciência e parar de acreditar que tem algo de errado com nossos corpos. Não viva a base de propagandas. 

 

Conhecendo a lei da atração e mudança de comportamento

Alguns dias atrás apareceu no feed do meu Youtube alguns vídeos falando sobre lei da atração, lei da fusão e alguns conteúdos sobre espiritualidade. Eu sempre busquei desenvolvimento para me tornar uma pessoa melhor, mas sempre tive dúvida de como começar e o que fazer. Sei que preciso deixar algumas mágoas para trás, mas nunca achei uma resposta para aquilo que queria saber. Quando perguntava algo a alguém que eu achava que poderia me ajudar, sentia que as palavras ditas para mim eram muito vazias e sem sentido. 

Por muito tempo fui uma pessoa muito religiosa e sempre participava dos eventos da igreja como forma de buscar ajudar a congregação. Percebi que não estava sendo enchido de luz, as coisas não estavam se desenvolvendo. Sempre fui desconfiado em me relacionar com os outros e prefiro ver o movimento de longe antes de me aproximar. A maioria das pessoas que convivo na igreja não são pessoas ruins, mas nunca senti empatia em estar com elas. 

Conscientemente ou inconscientemente o poder material dentro da igreja tem muito destaque. Isso me incomoda muito e não me conformo com este tipo de situação. Determinados pastores que conheci claramente tratam melhor aqueles que tem mais recursos financeiros. Estava indo buscar Deus, mas não encontrava algo que me edificasse. Ir em um lugar por obrigação é muito ruim. Estava apenas indo na igreja para não ter conflitos com a minha mãe. Já não aguentava mais dar sorrisos falsos e ouvir o pastor falar “Vira para o seu irmão e diz…” e tudo isso passar de falsidade. Comecei a ver os cultos como espetáculos, onde muitos que estão no altar são como artistas que querem se exibir para o público. 

Chegou um momento que percebi que nunca acharia as respostas que queria nos cultos que ia. Então passei a buscar vários materiais falando como que se dá o processo da ansiedade, como ser mais grato, como superar os acontecimentos ruins e estes assuntos que podem nos afligir. 

Recentemente depois de tantos anos comecei a me encher de uma energia positiva e boa. Sinto que a negatividade que coloquei em cima de mim começou a afetar pesadamente o meu corpo e comecei a ter problemas que não tinha. O meu corpo manifestou um sinal vermelho que é hora de mudar. Minha imunidade está baixa, comecei a sentir muita fraqueza, falta de foco, dor e até a consistência da minha urina percebi que estava mudando. Todo exame que faço mostra que tudo está normal, a partir disso percebi que o problema não era algo físico. 

O ódio, a raiva, é difícil admitir isso, mas a inveja também, a sensação de falta, o sonho de ter uma família “tradicional” que não foi concretizada e todos estes sentimentos manifestaram no físico. Depois de ter acumulado conhecimento daquilo que saciaria meu desejo de poder me tornar uma pessoa melhor, agora sinto que tenho coragem e força de começar o processo de mudança. 

O pouco a mais que aprendi vai fazer muita diferença daqui para frente. Consegui enxergar vários padrões destrutivos que escapavam dos meus olhos. Quando li a Bíblia e li que Deus criou o mundo através do verbo, ou seja, criou o mundo através da palavra. Isso me intrigou por muitos anos. Hoje consigo entender melhor o poder disso. Nossos pensamentos, desejos, crenças e palavras possuem muito mais poder que podemos imaginar. A palavra é uma fonte muito poderosa de poder. Através da palavra se constrói a realidade. Em um momento pensei naquilo que queria para a minha vida e como de certo modo as coisas foram se concretizando. Por ter pensamentos negativos, o que desejava foi se concretizando com alguns vieses, sempre tinha problemas por trás. Na lei da atração devemos elevar o nosso modo de ser. Devemos nos ver como merecedores do sucesso. A gratidão faz com que vemos o que temos, não devemos focar nossa atenção na falta. Se fomos gratos e vemos a abundância e aquilo que tem de bom ao nosso redor, atrairemos mais abundância. Se ficamos remoendo o passado e nos queixando sobre o que falta, no final faltará mais ainda, pois estamos atraindo a pobreza material e espiritual. Não devemos limitar a nossa mente apenas naquilo que podemos compreender. 

A lei da fusão me ensinou que devemos visualizar o nosso agora com aquilo que queremos ser, desse modo vamos atraindo a frequência daquilo que pretendemos. Já fiz meus pedidos a Deus (Deus é uma nomenclatura, você pode chamar de Universo ou algo que se identifica com sua crença). Antes tinha muito medo de pedir por parecer algo egoísta ou ganancioso. Saiba que podemos ter o melhor e não é errado desejar isso. 

Este ano espero evoluir muito e conquistar muitas vitórias, espero aprender muito e contagiar o meu redor com prosperidade. No final do ano tenho confiança que vou relatar muita coisa boa.