Skip to main content

A vida me deu o desafio de me amadurecer

Avalie este post

Amadurecer em alguns momentos, não é uma etapa fácil. Nos últimos dias percebi que minha imagem no mundo já está sendo moldada com vigas mais sólidas e fortes. Confiei demais nas pessoas da minha rede social (da vida material). Sempre fui uma pessoa desconfiada com os outros. Nesses últimos anos baixei um pouco a guarda e mostrei facilmente mais de mim. Algumas pessoas que consideravam como amigas, descobri que o sentimento não era recíproco. Parceiros de atividades e trabalhos acadêmicos não pensam duas vezes antes que queimar o seu filme com o professor. Praticamente tenho que recuar e pensar com quem estou gastando o meu tempo (e dinheiro). Acredito que cheguei na etapa crucial do meu amadurecimento.

Estou tentando largar algumas coisas para ter um estilo de vida mais simples. Tenho total convicção que discrição é uma das melhores virtudes. Quanto mais as pessoas sabem sobre você, mais pontos elas podem ter para te atacar. Ser forte e não ser derrubado, é um exercício que deve ser revisado todos os dias da vida. No cotidiano, não temos a capacidade de desvendar alguns mistérios sobre a nossa rede social. Isso ocorre porquê aprendemos a colocar máscaras perante a sociedade. Algumas coisas só são descobertas em momentos menos racionais, como um período grande de estresse, fúria e situações de perigo iminente. O melhor decodificador é o tempo. O processo de amadurecer, me mostrou que devo ser mais imparcial e distante com desconhecidos. Desse modo não sofro e se surgir algum tipo de amizade ou algo mais em algum lugar, que esse novo sentimento seja verdadeiro e sólido. 

Já vou entrar na casa dos vinte, e percebo que quase todos os meus contatos são passageiros. A única pessoa que é fixa na minha vida, é a minha mãe. Nem com meu irmão tenho muita conversa e conexão.

Espero que para os próximos anos aprenda mais e que eu possa conhecer pessoas no qual posso retirar bastante conteúdo. 

Ramon Cristian

Estudo Ciências Econômicas na UFES. Sou apaixonado pela cultura asiática. Pretendo ensinar, mas sem deixar o espírito empreendedor de lado. Quero me especializar na área financeira ou desenvolvimento econômico. Sou fascinado por todos os temas que mostram a expressão humana, como arte, literatura, cultura e moda.