Direcionando a vida – Tarefa muito complicada

Uma tarefa muito importante que todos deveriam ter é sempre buscar o processo de aperfeiçoamento. Estagnar na vida não é muito recomendado, principalmente nessa era de competição. 

Estou com um pouco de dificuldade em saber em que caminho seguir. Um dos meus grandes sonhos é ter um negócio próprio. Principalmente no setor de beleza e moda. Mas ao mesmo tempo quero investir na minha educação. Aí surge mais dúvidas, como fazer um MBA? Será que devo fazer um mestrado? Devo ficar no Brasil ou juntar dinheiro para o exterior?

Primeiro devo terminar a etapa inicial que é terminar a graduação. Tenho que estar firme em um propósito para a minha vida fazer algum sentido. Economia é uma área que gosto muito, mas ainda não consegui encontrar um nicho profissional em que me sinta encaixado. Não me sinto “pertencido”. 

Quero muito aprender idiomas, mas a única língua que estou me aproximando mais é o economês. Será que devo focar em idiomas apenas nas férias e depois de formado? 

Estou doido para me formar logo e sair desse ambiente acadêmico que estou inserido. Sinto que estou ficando sufocado e desanimado. Estou tentando elevar a minha energia, não quero me permitir ficar na tristeza. 

Um dos meus grandes sonhos é morar fora do Brasil, mas antes de realizar este sonho quero estar preparado. Eu quero ter a melhor forma de me preparar. Fico pensando se é melhor focar nos estudos ou se começo a empreender.

Posso aceitar ser subordinado por algum tempo, nesse tempo posso aprender lições importantes, mas não quero estar nesse estado por muito tempo. Liberdade e estar bem é algo que sempre quero ter. É muito ruim a sensação de estar preso a algo.  

Quero me direcionar por um caminho que possa bons frutos. É ruim trabalhar para enriquecer os outros. 

 

Dez bênçãos pelas quais sou grato – 25/04/2017

1- A consciência me ajuda a caminhar e me mostra o caminho certo e errado, agradeço por este instrumento tão importante que nos acompanha durante a vida. 

2- Agradeço pela chuva que chega, molha a terra e fez a vida reflorescer. 

3- A invenção da internet foi algo que me ajudou a ter acesso a conhecimentos que provavelmente seria mais difícil. 

4- Sou grato por ter oportunidade de aprender outros idiomas, estou agarrando esta oportunidade e quero ficar fluente em outras línguas e poder se comunicar com mais pessoas. 

5- Obrigado músicos, coreógrafos e dançarinos que animam a minha vida, a arte relaxa a minha mente e me completa. 

6- Todos os meus professores são muito importantes, cada um tem um jeito de ensinar uma visão e isso me ajuda a ver vários lados de uma história. 

7- Sou grato por poder morar em uma das cidades com melhor qualidade de vida do Brasil. 

8- Agradeço a todos que trabalham para proteger os membros da sociedade. Estas pessoas ajudam a manter certo grau de tranquilidade e evitam o caos total. 

9- Agradeço a todos que tem empatia comigo e me aceitam, mesmo sendo imperfeito e tendo muito o que melhorar. 

10- Sou grato, por ter um meio de preservar parte do meu tempo aqui nessa planeta. 

Bênção do dia: Consegui terminar de resolver as provas antigas que a professora de Estatística nos deu como revisão.

Fonte: nososarcturianos.blogspot.com.br

Qual é a nossa missão nesse planeta e no universo?

Sempre devemos perguntar para nós mesmos o porquê de estarmos aqui. Somos praticamente nada comparado ao espaço-tempo. 

No fundo, o desejo de todo ser humano é viver uma vida tranquila. Alguns pensam que terão uma vida melhor pós-morte, e vivem com base nesse pensamento. Grande parte da humanidade está tão preocupada em sobreviver, que sair de rotina sem sentido não parece uma opção. 

Sinto que a irrelevância tem um peso muito forte dentro das sociedades. Invés de buscar a evolução e ir atrás de respostas de perguntas que podem transformar a realidade, parece que a busca são por coisas que estagnam ou retrocedem as vitórias conquistadas. 

Se cada pessoa pensasse mais sobre o que ela é dentro desse planeta e como somos praticamente irrelevante comparado ao tamanho do universo, muita coisa seria diferente. Não temos uma identidade como espécie, cada um está tão preocupado com si e com seu grupo social fechado, que na atualidade se torna difícil ver humanos como uma unanimidade.

O mundo negligencia muitos conhecimentos que podem ser úteis para entender o significado da vida. Precisamos olhar de maneira mais sutil as mensagens que são passadas para nós. Se a humanidade tem uma missão a cumprir, devemos tentar buscar essas respostas. Parece que o mundo caminha para a destruição. Não faz sentido acabar com aquilo que se precisa, e é exatamente o que está acontecendo. 

Devemos tentar sair dos nossos mundos particulares e perceber que fazemos parte de algo maior. Quando a tristeza bate, é um ótimo momento para pensar qual caminho devemos seguir e o que devemos fazer. 

Pensar naquilo que somos, os filtros sociais que recebemos durante os anos, como estão nosso pensamentos, como que o universo influência nossas vidas e o que queremos fazer, são questões que em um momento são importantes de serem pensadas. 

Me preparando para morar novamente em república

O ano de 2016 teve muitos desafios, mas finalmente ele já passou. Agora em 2017 a vida me dá mais desafios. O salário mínimo aumentou, mas a renda da minha mãe e a minha estão estagnadas. As despesas vão ficar um pouco apertadas e é necessário economizar. 

Vou ter que morar com outras pessoas para poder economizar. Não vou ter condições de comprar uma máquina de lavar, é o único eletrodoméstico que estou sentindo muita falta. O pior de tudo que no prédio onde moro nem tem uma área de serviço descente, nem espaço para estender as roupas. Nem vai valer a pena comprar uma máquina para roupas, principalmente porquê pretendo ir embora de Vitória daqui uns anos, vai ser mais um bem perdido. Depois de usado, eletrodomésticos e móveis desvalorizam muito. Se eu consegui mudar quero ir para um lugar mobiliado, dessa forma me livro dos pertences que tenho agora e assim não vou ter mais essa preocupação mais para frente. 

Agora tenho muito mais tempo e vou fazer uma pesquisa mais minuciosa das pessoas com quem possivelmente posso conviver. Foi muito chato minhas experiências com convivência com estranhos, principalmente quando entra em temas relacionados a limpeza. Querendo ou não, pessoas mais parecidas conosco, são muito mais fáceis de conviver. No momento que estava na presença desses outros moradores, não estava sentido a sensação de estar em casa. É muito bom chegar em casa e ter aquele sentimento de alívio por estar no aconchego do lar. 

Outra coisa além da questão da lavagem das roupas, são os vizinhos que estão me incomodando muito. Em outro post falei de um vizinho que parece que no apartamento dele tem um laboratório especializado em maconha de tão forte que é o cheiro. A vizinha maluca que fica gritando com a criança não me agrada também, ela não parece ter uma índole muito boa. 

Espero que em 2017 eu aprenda a ser mais simpático e que tenha melhores relacionamentos. Quero pessoas drogadas bem longe de mim. Cada um faz o que quiser da vida, mas não me sinto a vontade perto de pessoas com certos vícios (principalmente se eles são intensos e incontroláveis). Cada um deve respeitar o dinheiro individual do outro. Não tenho problema com quem usa entorpecente, apenas não invada meu espaço e de outros que não gostam de tais produtos. 

O ibope das celebridades vazias e o ocultamento da intelectualidade

É triste saber como que a mídia se configura. É grande o ibope para pessoas que não fazem nada de importante. Cientistas, professores, policiais e outros profissionais que lutam para deixar o dia melhor são simplesmente esquecidos. 

Algumas celebridades nem são agradecidas as próprias pessoas com que fazem que elas sejam famosas. É muito insano ver casos de algum famoso cuspir ou bater em fãs, e tais fãs ainda amarem e seguirem o ídolo da vida delas. Está precisando de mais amor próprio no mundo e uma autovalorização dentro da nossa sociedade. 

Devemos focar mais as nossas atenções para quem faz coisas mais importantes. Muitos artistas que estudam por vários anos, se qualificam e se esforçam por ter amor no seu trabalho não são valorizados. Os nossos cientistas não são apoiados e muitas vezes são mais valorizados no exterior (por isso muitos decidem realizar suas pesquisas fora do Brasil). Coitado dos policiais, que tem um salário péssimo, não são valorizados e odiados por parte da população. Os professores que são a base de todo o sistema, são tratados como lixo e não tem o respeito que merecem. 

A população por outro lado, trata os cantores de música lixo como deuses. Tem mulheres que simplesmente fazem sucesso por mostrar a bunda na televisão e isso é tratado como normal. As crianças crescem vendo um conteúdo totalmente promíscuo e acreditam que aquilo que é o sucesso. Algo tem que ser feito para quebrar este ciclo de criar uma nação de gente de cabeça oca. 

É um pouco preocupante quando sai algum material em uma revista ou um site famoso mostrando quais são os conteúdos mais acessados pelos brasileiros. É um pouco chocante saber dos sites, músicas, vídeos, programas e algumas celebridades que as pessoas mais gostam. 

A cada ano percebo que o processo de alienação e a criação de zumbis não é um conto de fadas, é um processo real e visível. Muita gente não consegue se libertar de estilo de vida infortunado que segue certa linearidade. Um bom indicador do processo de alienação e emburrecimento em massa é o surgimento e a popularização de celebridades vazias, e como este conteúdo vazio é maior do que conteúdo de enriquecimento cultural útil. 

Vivemos em um país de renda média, onde se possui uma camada considerável da população na pobreza ou extrema pobreza. O contraditório é que, a cultura da ostentação se tornou importante para a vida de muitas pessoas. As celebridades vazias fazem muitas pessoas desejarem coisas que elas não têm condição de comprar ou ter. O pouco que tem, que poderia ser investido em empreendedorismo, educação ou em uma poupança de segurança para se proteger de situações imprevistas. Conteúdo vazio faz com que haja uma indução ao consumo em coisas que não são necessárias e que pode pesar no orçamento. Em Economia temos um termo para designar este tipo de comportamento, que se chama efeito demonstração. Este tipo de problema existe há muito tempo, principalmente na América Latina. Hoje, pode-se traduzir efeito demonstração para uma palavra mais atual, a famosa ostentação.