Direcionando a vida – Tarefa muito complicada

Uma tarefa muito importante que todos deveriam ter é sempre buscar o processo de aperfeiçoamento. Estagnar na vida não é muito recomendado, principalmente nessa era de competição. 

Estou com um pouco de dificuldade em saber em que caminho seguir. Um dos meus grandes sonhos é ter um negócio próprio. Principalmente no setor de beleza e moda. Mas ao mesmo tempo quero investir na minha educação. Aí surge mais dúvidas, como fazer um MBA? Será que devo fazer um mestrado? Devo ficar no Brasil ou juntar dinheiro para o exterior?

Primeiro devo terminar a etapa inicial que é terminar a graduação. Tenho que estar firme em um propósito para a minha vida fazer algum sentido. Economia é uma área que gosto muito, mas ainda não consegui encontrar um nicho profissional em que me sinta encaixado. Não me sinto “pertencido”. 

Quero muito aprender idiomas, mas a única língua que estou me aproximando mais é o economês. Será que devo focar em idiomas apenas nas férias e depois de formado? 

Estou doido para me formar logo e sair desse ambiente acadêmico que estou inserido. Sinto que estou ficando sufocado e desanimado. Estou tentando elevar a minha energia, não quero me permitir ficar na tristeza. 

Um dos meus grandes sonhos é morar fora do Brasil, mas antes de realizar este sonho quero estar preparado. Eu quero ter a melhor forma de me preparar. Fico pensando se é melhor focar nos estudos ou se começo a empreender.

Posso aceitar ser subordinado por algum tempo, nesse tempo posso aprender lições importantes, mas não quero estar nesse estado por muito tempo. Liberdade e estar bem é algo que sempre quero ter. É muito ruim a sensação de estar preso a algo.  

Quero me direcionar por um caminho que possa bons frutos. É ruim trabalhar para enriquecer os outros. 

 

Século XXI

Texto de 2013

Visão XXI

Nasci no final do século XX, mas como eu era pequeno não me lembro desse século. Sou natural da região de Belo Horizonte, Minas Gerais que fica no Brasil. Começarei esta linha do tempo desde quando eu era um garoto até o que eu vejo hoje na minha adolescência. As coisas podem ter mudado muito. Lembre-se que as gerações anteriores tiveram menos tecnologia e as gerações futuras terão mais recursos. Não achem que este tempo é ridículo, as pessoas no início do século vinte um também acham que o que foi de tempos passados é tudo ultrapassado.

Desde cedo sempre fui diferente da sociedade em geral, as pessoas gostam de usar gírias (inventar palavras) e expressões informais. Para mim regras são importantes, desde gramática a condutas sociais. No Brasil a ética não é muito utilizada. Não tenho a visão igual dos outros jovens desta era, por isso escrevo estes sentimentos e fatos. Já aconteceu tantas coisas que as pessoas devem saber e ver se algo tem em comum com épocas vindouras.

Línguas

O Brasil é ex-colônia de Portugal. Eles trouxeram a cultura para o outro lado do Atlântico que eles chamavam de Terra de Santa Cruz, mas com a exploração de uma árvore cujo nome era Pau-brasil (Será que ainda existe esta árvore?) aqui ficou conhecido como Brasil e este nome ficou. No ano de 1822 conseguimos a independência e o processo de urbanização começou em 1930. Falamos a língua portuguesa que é um pouco diferente de Portugal. Existe mais países que falam português como Angola, Moçambique, Guiné-Bissau (Estes países ficam no continente africano), Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Bermudas (ilhas do oceano Atlântico), Timor-Leste (país da Oceania) e lugares que vivem muitos brasileiros e portugueses principalmente.

Informarei sobre o português do meu país. Aqui cada região as pessoas tem um jeito diferente de falar, que é o sotaque. Por causa das mídias de massa cada vez as pessoas estão falando uniformemente. As regras gramaticais são complicadas e a maioria da população não gosta de ler e nem estudar, então o português padrão é pouco utilizado. Os jovens gostam muito de gírias e expressões fáceis de se falar. Sempre tem alguém que fala comigo que eu falo muito “certinho”, mas não me incomodo. Vejo dois universos paralelos, um da escrita e outro do dia a dia. Na escrita tem um padrão correto que deve ser seguido, erros em certas ocasiões são inadmissíveis. Na fala do dia a dia o padrão é completamente diferente.

Atualmente tem a influência muito grande do inglês por causa dos Estados Unidos. Inserimento de palavras de outras línguas é chamado de estrangeirismo. Do inglês, especificamente chamamos de anglicismo. Em várias línguas do mundo tem este fenômeno. O inglês é um idioma muito importante, só que aqui poucas pessoas falam fluentemente a língua anglicana. Escritores, professores de português e os mais tradicionais odeiam este fenômeno, pois eles falam que estamos perdendo nossa identidade nacional, que no fundo tem uma ponta de verdade.

Português é uma língua que veio do latim. Tem grande influência latina e grega. Tem significados implícitos nas nossas palavras que precisa de certo estudo para saber o que significa realmente algo e qual foi o sentido original de nossas palavras. Latim influenciou o português, espanhol, italiano, romeno, inglês e outras línguas.

Já vi alguns livros muito antigos e antigos, pude perceber que o idioma mudou muito durante o decorrer do tempo. E continua a mudar. Imagino como será o português do futuro (se ainda existir). Dizem que o mandarim será a língua do futuro, só no futuro que a humanidade terá esta informação.

Com a expansão marítima para a expansão de colônias europeias a partir do século XV muitos países europeus dominaram muitos lugares do mundo e eles mataram muitas pessoas e consequentemente muitas culturas e idiomas se perderam. Tem um problema até hoje em questão de resgate cultural e linguístico em vários pontos do planeta. Os europeus em vários lugares deixara o idioma e temos a base desses idiomas até hoje, o lugares mais influenciados foram a América e a Oceania. Na América tem quase uma supremacia do espanhol como língua, se destacando os Estados Unidos com o inglês, uma parte do Canadá com o francês e o Brasil com o português. Tem outros idiomas, mas a maior parte da população americana fala esses idiomas.

Na Oceania tem os povos polinésios e micronésios que perderam espaço com a “invasão” do inglês que dominou principalmente a Austrália e a Nova Zelândia.

Na África tem vários grupos linguísticos, tem uma certa influência de línguas europeias, mas já tem certa distância do que é falado na Europa, na África já tem muitos lugares em que idiomas não tem muita influência de coisas de fora. Mas vemos uma grande crescimento do árabe que é falado no norte da África e grande parte da Ásia.

Na Ásia também tem uma grande variedade linguística, em alguns países também foram colônias, mas não houve uma perda de identidade tão forte como na América. No Japão só se fala japonês, na Coreia só o coreano e na China cada vez mais tem um domínio maior do mandarim. E em outros lugares como a Índia tem vários idiomas.

Será que no futuro vai existir tantos idiomas como hoje?

Cidades

As cidades cada vez crescem mais. No mundo existe cidades muito famosas, que em tempos futuros acredito que também vão existir. Posso dar o exemplo de Ottawa, San Diego, San Francisco, New York, Cidade do México, Santiago, Buenos Aires, Bogotá, São Paulo, Rio de Janeiro, Lisboa, Cidade do Porto, Paris, Madri, Barcelona, Milão, Roma, Veneza, Londres, Moscou, Cairo, Sidney, Osaka, Tóquio, Hong Kong, Seul, Pequim, Xangai, Dubai, Joanesburgo, Luanda e muitas outras cidades atuais que acredito que ainda vão ter muita história.

Uma coisa que está ganhando força são os condomínios fechados. Que são um grupo de prédios (ou casa se for bastante rico) e departamentos que são protegidos contra qualquer coisa “de fora”. Vivendo neste tipo de espaço as pessoas acham que ficarão mais protegidas. Hoje não temos nenhuma garantia que um lugar no mundo é cem por cento seguro. Na minha opinião estes espaços são cidades dentro de cidades. Fazem com que as pessoas sejam mais espionadas e as crianças vivem neste novo tipo de cultura que nasce com as metrópoles.

Nas municípios maiores muitos cidadãos vivem em prédios, mas há aqueles que moram em casas mais simples e moradias precárias, na maioria das vezes quando o lugar é afastado do centro. Não é regra, em certos lugares as pessoas mais pobres vivem em morros e regiões que são chamadas periferias. Nas cidades médias e pequenas a população vive mais em casas.

O trânsito depende da cidade e da organização das leis. Na Índia, as metrópoles são uma verdadeira loucura em questão de trânsito, causando poluição sonora imensa. Em certos países existem o metrô que é um tipo de trem subterrâneo que é usado para fazer o trânsito fluir mais rapidamente.

Com o excesso de dióxido de carbono na atmosfera, é crescente o número de problemas relacionado com falta de ar, problemas respiratórios, baixa imunidade etc.

Aqui no Brasil é uma loucura em São Paulo, porque o metrô é superlotado e as linhas são poucas e muita gente compra carro particular para fugir do transporte público que é horrível. Congestionamentos em certos lugares é dado como “comum”. O pior que existe uma legislação para o tráfego de carros, motos, bicicletas, pessoas e tudo mais que houver na rua para conviver sem conflitos. Essa é a realidade o que vou escrever, como no trânsito os brasileiros não tem ética de seguir as leis, para não fugir do assunto vou dar exemplos no próprio contexto: Pessoas que não atravessam na faixa de pedestre, não espera o sinal fechar para poder atravessar, motorista que abusam da alta velocidade, motorista que dirige bêbado, motociclista que tenta atravessar o sinal a qualquer custo e muito mais imprudências que faz do ir e vir em um momento que pode se transformar num caos.

Uma coisa que nasceu junto com as cidades foram os subgrupos. Muitas vezes surgem na juventude e depois se esvai depois de uma geração, mas alguns duram mais tempo e se modificam. Em vários lugares já tem “barreiras invisíveis” que as pessoas tende a ficar separadas. Existe aquela galera do funk, do rock, gótico, as “patricinhas” (garotas metidas), os que gostam de jogar futebol, os nerds e outros.

Na sociedade capitalista temos o conceito de “classes”, que para mim é um sistema de castas com nova maquiagem. A desigualdade é enorme dentro de um mesmo espaço que pode chamar Paris, Londres, Rio de Janeiro ou Recife. Enquanto outros vivem na miséria total, outras pessoas no maior luxo e acham ruim (porque querem sempre mais). Os bairros podemos chamar de “visão XXI moradia” onde é marcante a presença da desigualdade entre as pessoas. Os bairros mais pobres tende a ser os mais violentos, problema causado pela omissão pública por muito tempo e agora as coisas parecem que se resolvem apenas com polícia, a escola deixou de ser um incentivo para muitas pessoas.

Para um cidade sobreviver e crescer precisa ter comércio, este é o ponto de vida. Hoje em dia tudo é pago, agora só falta pagar pelo ar que nos respiramos, pode parecer bobo neste início de século, mas apenas você que vive aí no futuro pode saber desta informação. Na maioria das vezes a cidade tem um bairro centro principalmente na oferta de serviços e para vendas, em épocas de ano as pessoas compram demasiado…

Uma coisa que minha bisavó e minha avó conseguiram conferir foi que muitos produtos eram feitos em casa. Vivo numa sociedade em que a cada dia as coisas são mais enlatadas e embaladas. As pessoas estão perdendo o hábito de cozinhar, porque elas ficam dependentes do que vão comprar no supermercado ou já pode achar algo pronto em lanchonetes. Com o capitalismo pode se resumir em industrialização, você é convencido a ter uma coisa que você não precisa.

Em cidades pequenas ainda tem a cultura da manufaturação, quanto maior a cidade mais posso ver o nível de coisas prontas.

Consumo

Muita coisa mudou muito rapidamente. Os idosos contam que na época deles as mulheres lavavam roupa nos rios (as pessoas pobres daquela época), muitas casas não tinha água encanada, comiam o que era plantado na roça e enfim, tudo nos últimos anos teve uma “evolução” rápida.

Com o capitalismo surgiu a sociedade do hiperconsumismo onde pelas mídias a população é incentivada a uma única palavra que se chama comprar. Antigamente as pessoas usavam o rádio como a principal forma de saber das notícias, eu nasci na época da televisão, onde a juventude desperdiçava tempo vendo desenhos um turno inteiro (na época não sabia que era uma perda de tempo) e hoje podemos ver a era da internet e dos celulares.

Mesmo com a internet cada dia ganhando mais força, mas não é todos que tem esta ferramenta, a televisão ainda tem uma força muito grande no Brasil e em vários lugares do mundo. O que financia programas da TV, sites na internet, programas de rádio são as propagandas que tem um alto impacto na opinião das pessoas sobre determinados assuntos, até mesmo na hora de comprar e incentivar a comprar coisas inúteis.

Temos o marketing, que é a área que usa linguagem persuasiva para fazer as pessoas gastarem o dinheiro que elas têm. Tentam nos convencer com músicas, cores, imagens, mostrando que todos tem, os que tem são felizes e sorridentes. Uma coisa que me desagrada e a muitas pessoas é a apelação ao sensualismo ostensivo.

Muitas pessoas não pensam no próximo porque só querem usufruir do que é bom e não estão nem aí para as outras pessoas. Cada dia mais tem preocupação ambiental, para as pessoas ajudarem o meio ambiente que está ficando frágil pelas imprudências humanas. O consumidor deve ser consciente e pesquisar o que está consumindo pois deve saber mais sobre o que está sendo utilizado. Tem um provérbio brasileiro que diz “O pior cego é aquele que não quer ver”, que é a pura verdade. A consciência sobre este assunto é bem extenso só que muitos não querem largar seus carros caros ou seu cobertor para um bem maior.

Tem uma coisa implícita que nunca vi ninguém comentando, mas que me incomoda um bocado. Odeio a associação gritante entre felicidade e bens, parece que tem um bloqueio imenso ao falar sobre este assunto, mas é uma coisa que pode ser vista muito facilmente. Na verdade acho que a felicidade não tem nada a ver com consumo e sim com um estado de se sentir bem do jeito que é. Saber acertar e buscar o que é certo de acordo com uma ideologia construtiva.

Tem a perda de controle até na alimentação. A obesidade já é uma doença que está se multiplicando muito rapidamente. Vivemos num tempo de excesso em vários países, que tenho medo que se transforme numa tragédia futura. Não tenho o que reclamar, vivo muito bem. Nem passa na mentalidade de alguns que comer o suficiente, dormir bem e ter um sustento já é ótimo para viver, o que vejo é pessoas fazendo de tudo para se tornarem ricas para comprar tudo o que elas desejam, como: roupas, carros, casas, iate, joias, relógios, eletrônicos e outras coisas. Para mim assim que nunca vão achar a felicidade, pois tudo vem do exterior e os valores são esquecidos.

A população cresceu de maneira muito rápida. Culturas que demoraram milênios para se formarem se veem desmoronando em poucas décadas. As empresas que nesta época chamamos de multinacionais dominam o mundo. Elas tem de tudo o que você imaginar: comida, roupa, utensílios de casa, petróleo, supermercados, indústrias e tanta coisa que fico zonzo de tanto pensar. Os pequenos empreendimentos se veem sufocados porque não conseguem competir com os gigantes que já tem uma força muito grande, só falta um fio de nada para as multinacionais terem a dominação total do mercado. Já estamos vendo uma empresa grande “engolir” outra assim tendo menos empresas no mercado. Acredito que no futuro vai existir no máximo duas empresas de um ramo de mercado. Será que vocês tem apenas uma, duas, três marcas de um produto do mercado?

Hoje a sustentabilidade e reciclagem são assuntos cada vez mais recorrentes. O consumo cada vez está mais vigiado pelos governos para o controle do impacto ambiental. Os abastados de dinheiro estão conferindo que dinheiro não garante nada diante o que pode acontecer com este planeta. O ser humano que se diz tão inteligente e civilizado está cavando a própria cova. O que me entristece que isso acontece não é por falta de ideias e sim que por algum motivo as pessoas não estão interessadas em mudar porque não parece mais lucrativo.

Me pergunto aonde a humanidade vai parar. Como está a questão do lixo aí neste tempo? Ainda a sociedade é hiperconsumista? E como é abordado a questão da tecnologia?

População

Hoje a população é de cerca de seis bilhões de pessoas. A concorrência em certos países é palmo a palmo. Os três países mais populosos são China, Índia e Estados Unidos. O Brasil é o quarto país mais populoso.

Ainda no século XXI ainda se usa muito o termo oriente e ocidente. Na Índia e China tradições antigas são muito fortes e mudam em um ritmo muito mais lento do que em certas culturas. Ainda nesses países muitos apreciam música milenares e fazem rituais antigos.

A China faz muito progressos atualmente, é um dos países que crescem mais rápido no mundo, mas o preço é alto demais. Muitas florestas estão sendo devastadas, a poluição está num ritmo incontrolável e os trabalhadores mais pobres são muito explorados. Muitos produtos são fabricados na China pelo baixo preço de mão de obra. Os estudantes tem uma carga horária muito pesada e passam muito tempo na escola. Para controlar a população, na China tem a lei do filho único, onde o casal pode ter apenas um filho, exceto em casos especiais Tem enormes cidades e a ilha de Taiwan que é meio que independente da China. No mundo dos negócios o mandarim está sendo mais visado, o inglês ainda é a língua internacional, mas o mandarim já está abrindo as suas portas.

A Índia aboliu o sistema de castas no século XX, mas ainda é utilizada na população como uma forma de estratificação social. As ruas não tem sinalização nenhuma, o trânsito é um dos mais caóticos do mundo (se não for o maior) e as religiões politeístas são dominantes. A pobreza é enorme e tem muito trabalho infantil. Um dos lugares onde as mulheres são mais violentadas. A região foi de grande influência comercial por anos por ser distribuidora de muitos produtos nas grandes navegações e antes disso. Um lugar onde a vaca é sagrada e de cultura milenares como na China, bem diferente da América.

A América antigamente moradia dos indígenas, dominada pelos europeus e colonizada por eles, depois vierem vários povos. Os Estados Unidos é a maior potência mundial, a população é grande por causa dos imigrantes que vierem de todas as partes do mundo. Tem muita influência nas mídias e política.

No Brasil também veio muitos imigrantes, mas tem um grande número de pessoas pela alta natalidade no século XX. Brasil está se tornando uma grande potência econômica, mas precisa de muitas reformas para o sistema funcionar em todas as partes.

Os Estados Unidos e o Brasil, como na América as mudanças são bem mais rápidas. Em uma geração já vemos grandes diferenças em que tempos antigos nunca presenciaram.

Em países mais pobres a população cresce muito mais rápido que em países mais ricos. Muitos países ricos há declínio na taxa da natalidade e há medidas dos governos para incentivarem as pessoas a terem filhos e alguns países pobres já é ao contrário os governos incentivam as pessoas terem menos filhos.

A população mundial cresceu bastante depois da Revolução Industrial e aumentou a expectativa de vida. Nos países europeus houve uma gama enorme de luxo, enquanto principalmente na Ásia e África desencadeou muita pobreza, problemas que se agravam.

Não só países, regiões e cidades têm grupos que pela exploração causou os conflitos sociais, drogas e outros problemas relacionados.

Como será que vai ficar a população futuramente?

Comércio

O comércio usa muitos meios para vender. Temos as lojas físicas que a cidadão vai na loja compra seu produto e paga e as lojas virtuais que podemos ver pela internet. Temos vantagens e desvantagens, no tradicional podemos ver o produto pessoalmente e ter uma dimensão mais próxima do real de como aquele objeto vai ficar na casa, o problema que tem muita burocracia e pesquisar preço de loja em loja é cansativo. Na internet os preços são um pouco mais baratos, a vantagem é que se pode verificar várias lojas sem grandes deslocamentos, a desvantagem é que você só vê o produto quando ele chega e isso dependendo do que se compra não é muita vantagem.

Tem muitas formas de pagamento tanto nas lojas físicas como nas online. Pode pagar com dinheiro, cheques (que já está deixando de existir), cartão de crédito, boleto e outros. No futuro penso que dinheiro de papel e moedas não vai o principal meio de negócio e sim tudo eletrônico.

Com as incríveis mudanças que acontecem de maneira muito rápida as empresas estão tendo que se adaptar. O mercado tradicional já está ficando obsoleto e muitos estão investido nos dois ramos. A cada dia as pessoas estão tendo acesso a rede e comprando online que dá alguma desvantagem para os comerciantes que tem apenas lojas físicas. O preço da internet tende a ser mais baixo e isso atrai a atenção das pessoas. Daqui alguns anos quem não se adaptou ao meio eletrônico e não se adaptar com certeza vai ter grandes problemas até chegar a falência.

Como é a rede de consumo?

Os lançamentos são disponibilizados primeiro na Europa, Estados Unidos e algumas partes da Ásia, principalmente porque vivem mais pessoas com poder aquisitivo maior. Depois chega para outras partes do mundo como aqui na América do Sul e outras partes do continente, em partes da Ásia e África. Na África os produtos demoram muito para chegar, principalmente porque tem poucas pessoas que tem poder aquisitivo e lugares mais difíceis no interior do país, mesma coisa acontece em partes da Ásia.

No Brasil tem rápido crescimento econômico e as pessoas compram mais. Mas ainda demora algum tempo para novidades chegarem aqui principalmente por causa da burocracia e a alta taxação de impostos do produto estrangeiro.

Onde é a fabricação?

A maioria dos produtos é fabricado na China, que já é a segunda potência econômica e os especialistas dizem que vai ser a primeira potência econômica do século XXII. Muitas empresas mundiais se instalam lá por mão de obra barata e pela alta carga horária. Muitos trabalhadores chineses são verdadeiros escravos do século XXI, trabalham o dia todo. Eles não tem nem tempo para dormir direito, a vida deles é trabalhar para ganhar um pequeno salário que é quase impossível sair da situação de tão pouco dinheiro que eles ganham. O mundo se fecha com essa situação. Em Bangladesh acontece uma situação semelhante, lá já é mais especializado em roupas.

Em outros países com aqui no Brasil a lei de trabalho é muito boa, em alguns países o salário é maior, só que a maioria da população tem a escolaridade alta.

Empresas estão se unificando e fazendo empresas cada vez maiores sufocando as pequenas. Isso na minha visão pode ser muito perigoso para o futuro da humanidade porque se continuar como está apenas duas ou uma empresa vai ter o controle de tudo!

Alimentação

A alimentação atual é muito diversa. Tem lugares que os alimentos são bem saudáveis e outros são tem puro veneno, mas as pessoas comem mesmo assim pelo gosto bom.

Começarei pela parte da alimentação ruim que está disseminando, principalmente nos países mais desenvolvidos, com exceção de alguns. É muito popular nesses lugares comidas com alto teor de sal, açúcar, conservantes, gorduras trans, cafeína e muitas substâncias que fazem mal. Muitas vezes as pessoas não tem escolha porque estes alimentos são absurdamente mais baratos que os naturais, para mim é muito estranho estes produtos industriais serem mais baratos.

Tem lugares que há pouco tempo tinham a alimentação saudável e vários cidadãos estão adaptando a nova dieta fast-food, principalmente os mais jovens. Darei o exemplo daqui e do Japão. No Brasil é um país tropical que tem grande variedade de frutas, verduras e legumes que são muito bons, mas os alimentos industrializados tem um gosto muito forte e as pessoas se acostumam com esse gosto, assim não sentido o verdadeiro sabor dos alimentos naturais. A maioria da família ainda mantém uma alimentação saudável, mas cada dia “as tentações alimentícias” invadem o lar brasileiro. No Japão a alimentação é muito mais saudável do que a do brasileiro, base em peixes e algas, o governo de lá também está preocupado pelo aumento de obesidade dos jovens. Lá as coisas não são salgadas ou muito doces, as empresas tem que se adaptar a esse paladar, mas já estão aumentando o teor de química.

Um fato bem polêmico é o uso de produtos transgênicos que é clonar plantas e animais para a alimentação. Sou vegetariano e sou contra, pois são produtos de massa que pode causar muitos malefícios se caírem em mãos erradas. Animais transgênicos crescem duas vezes mais rápidos, plantas transgênicas são colhidas mais rapidamente e crescem maiores, tudo isso para produzir mais em menos tempo que resulta em dinheiro mais rápido. As pessoas se importam mais com dinheiro do que com a vida saudável. A comercialização de animais para a alimentação está ficando inviável pois precisam muito do produto da terra. Dizem que a alimentação do futuro vai ter como base carne de inseto e algas. Em alguns lugares da Ásia e da África já se comem insetos, mas isso é muito estranho para algumas culturas que terão que se adaptar.

Para mim um dos erros mais graves é da monocultura que empobrece muito a terra, a policultura seria a melhor forma de manter todo mundo bem alimentado. Por que será que os governos não incentivam a plantação de árvores frutíferas e num cardápio mais saudável?

Ainda com tantas tecnologias um sexto da população mundial passa fome. Muitas vezes o que impede a alimentação são as guerras, a pobreza extrema e distribuição desigual dos alimentos. A ONU ajuda, mas em lugares são muito perigosos e quando tem uma crise financeira é uma desculpa para a comunidade internacional não ajudar.

O paladar das pessoas também estão mudando muito. Antigamente cada região tinha seu prato gastronômico, ainda tem, mas não é tão influente. Uma mesma marca de milkshake que se toma aqui, se vê nos Estados Unidos, África do Sul, Rússia e outros países com um sabor bem idêntico. Essa alimentação está se globalizando perdendo a cultura gastronômica dos povos rapidamente, principalmente entre os mais jovens.

Pouco a pouco a indústria está tomando conta dessa necessidade básica humana. Além de produtos transgênicos, temos o uso extensivo de agrotóxicos e derrubada de florestas para plantações monoculturais.

Muitas doenças surgiram com os novos hábitos de vida. Hoje as pessoas tem diabetes, hipertensão, câncer (cancro), osteoporose, gastrite e muitas outras que é uma verdadeira calamidade.

Como será que vai ser a alimentação? Vai cumprir que os especialistas dizem que vai ser de inseto e algas?

Cultura rural

Mesmo com o grande crescimento das cidades ainda temos a cultura rural. A maioria das propriedades são latifúndios, ou seja muita terra na mão de pouca gente. Existe o movimento sem-terra que é um grupo de trabalhadores rurais que não tem propriedades e reivindicam isso. Existe muitos conflitos no Brasil por causa disso. Os grandes fazendeiros não aceitam que o movimento sem-terra invada a suas propriedades, muitas vezes acabam em conflito e até em morte. No Paraguai muitos fazendeiros brasileiros tem terras causando tensões também no país vizinho.

Na zona rural ainda tem situações conflitantes. A tecnologia avança, mas muita gente faz serviço braçal. A máquina é mais rápida e produtiva, tira o emprego de muitas pessoas. Uma situação comum hoje em dia é o corte de cana que antes era feito pelos boias-frias que estão deixando de existir pelos cortes mecânicos. Em muitos países a produção é praticamente quase toda maquinizada, países emergentes temos os dois e países mais pobres se usa o trabalho manual e muito dependente de fatores da natureza. Em países pobres da África a área agrícola artesanal é muito precário, pois se não chover não tem reservas e diques que armazenam água, mostrando tal nível de pobreza.

Estamos em meio a uma mudança drástica na temperatura, então não se pode depender muito do fator natural, pois não pode sair como o programado.

As famílias que vivem da agricultura ou pecuária tem uma cultura muito diferente daquelas que vivem nas cidades. Se predomina mais os alimentos naturais, tais como derivados. O estresse é menor e dependendo da região a qualidade de vida também é melhor.

Nos Estados Unidos a zona rural é ocupada principalmente por máquinas que fazem “o trabalho pesado”, mas lá não tem tanta variedade de alimentos que nem no Brasil, é mais lucrativos para eles plantarem o que vai ser usado na indústria do que variar. Na Europa tem o destaque para a azeitona e para o vinho que há séculos são cultivados.

No sertão brasileiro que é uma região semiárida a população sofre com a desertificação da área. Estão incentivando os produtores a plantarem produtos transgênicos que são mais resistentes a alagamentos ou secas e contra pragas. Mas como fica a saúde? Quem garante que esta tecnologia é totalmente segura?

Daqui uns anos vão ser pouquíssimas pessoas que vão morar na zona rural pois muito jovens querem morar em cidades grandes com a esperança de um emprego, por causa da tecnologia ou por estar mais próximo de lojas, médicos e etc. Um lugar que está tendo um êxodo rural muito grande é a China aonde a população está indo para as grandes cidades.

O bom do campo é que a tranquilidade é maior, mas não são ilhas. Já disseminou a droga e o vício, nesse começo do século todo lugar tem alguém que é viciado em drogas, remédios ou outras coisas. Quem vive em grande cidades pensa que no interior não tem esse problemas, mas estão enganados.

Ainda se mantém no Brasil e outros países festas culturais do interior. Com a descendência de imigrações e migrações se tem muitas danças e costumes, tem festa do bode, do boi, de alguma fruta de época, flores e muita coisa, depende de cada região. Quem gosta de viajar e tem tempo com certeza vê muita coisa boa.

Modos de vida

Cada pedaço de região desse globo tem um padrão de vida diferente. Isso depende muito do governo, família e influências que cada um tem. Se tem muito em comum com a sociedade globalizada. As pessoas da mídia como os cantores, atores, esportistas, escritores influenciam muita gente num nível que pode ser global.

Tem gente que gosta de seguir uma tendência internacional. A beleza nessa tendência são mulheres magras e altas. As roupas variam com a estação. Os filmes são de Hollywood. Tem um jogador de futebol top que anuncia um produto e ganha milhões (ou bilhões) de dinheiro. Coisas inumeráveis.

Mas não é todos que gostam da tendência internacional. Também tem gente que se baseia em modos de vida em pilares nacionais ou até mesmo regionais.

Tem grupos que se conectam com a música, com alguma paixão em comum ou por um objetivo.

Com as cidades se formou subgrupos. Várias culturas num pequeno espaço. Principalmente em espaços com imigrações recentes. O ser humano em alguns lugares “não se misturam” tão facilmente.

Os jovens formam modos de vida mais facilmente que os adultos, que na maioria são mais tradicionais. Quando uma criança se interage com crianças diferentes dela é mais fácil para ela ter um modo de vida diferente do que aquelas que nunca se interagiram.

Cada país tem um governo que controla e tenta colocar ordem dando assim um estilo de vida. No Brasil tem um desrespeito muito grande pelas leis e isso já virou até piada. No Japão e Cingapura se tem um respeito pela lei mostrando uma cultura completamente diferente.

As instituições religiosas ou uma ideologia e a educação também influencia muito o modo de vida das pessoas. Os meios de comunicação são ferramentas poderosas que fazem muita diferença na vida das pessoas.

Os hobbies conectam pessoas muito diferentes (ou iguais) que tem coisas em comum para compartilhar. É interessante como é o século XXI, temos uma parte da sociedade que vive num sistema tradicional e outro que nasceu respirando a idade contemporânea. Mesmo os que vivem no sistema tradicional como é o caso dos árabes se aderem ao sistema contemporâneo numa maneira muito rápida. Os mais anciãos tentam segurar, mas as crianças e os adolescentes ficam encantados com as novas tecnologias e possibilidades. Pessoas mais anciãs num sistema mais tradicional deixam os jovens a terem certos hábitos no modo de vida por não conhecer as coisas da atualidade. Um exemplo básico: Tem um jogo muito violento que está no mercado que é para maiores de dezoito anos, os pais veem os filhos jogando e deixam por não conhecer nada de videogames e por não saber que existe classificação para jogos de videogame.

Outro exemplo: Uma adolescente ouvindo uma música contrária a religião da família, como ela está usando fones de ouvido e a mãe não sabe como funciona o aparelho a mãe não sabe o que sua filha está fazendo.

Acredito que os modos de vida dos jovens que serão os adultos amanhã vai ser muito diferentes dos modos atuais, até mesmo em sociedades tradicionais a globalização está “entrando”. Como será que vai ser os modos de vida daqui algum tempo?

Escola e ensino

Cada pedaço de região desse globo tem um padrão de vida diferente. Isso depende muito do governo, família e influências que cada um tem. Se tem muito em comum com a sociedade globalizada. As pessoas da mídia como os cantores, atores, esportistas, escritores influenciam muita gente num nível que pode ser global.

Tem gente que gosta de seguir uma tendência internacional. A beleza nessa tendência são mulheres magras e altas. As roupas variam com a estação. Os filmes são de Hollywood. Tem um jogador de futebol top que anuncia um produto e ganha milhões (ou bilhões) de dinheiro. Coisas inumeráveis.

Mas não é todos que gostam da tendência internacional. Também tem gente que se baseia em modos de vida em pilares nacionais ou até mesmo regionais.

Tem grupos que se conectam com a música, com alguma paixão em comum ou por um objetivo.

Com as cidades se formou subgrupos. Várias culturas num pequeno espaço. Principalmente em espaços com imigrações recentes. O ser humano em alguns lugares “não se misturam” tão facilmente.

Os jovens formam modos de vida mais facilmente que os adultos, que na maioria são mais tradicionais. Quando uma criança se interage com crianças diferentes dela é mais fácil para ela ter um modo de vida diferente do que aquelas que nunca se interagiram.

Cada país tem um governo que controla e tenta colocar ordem dando assim um estilo de vida. No Brasil tem um desrespeito muito grande pelas leis e isso já virou até piada. No Japão e Cingapura se tem um respeito pela lei mostrando uma cultura completamente diferente.

As instituições religiosas ou uma ideologia e a educação também influencia muito o modo de vida das pessoas. Os meios de comunicação são ferramentas poderosas que fazem muita diferença na vida das pessoas.

Os hobbies conectam pessoas muito diferentes (ou iguais) que tem coisas em comum para compartilhar. É interessante como é o século XXI, temos uma parte da sociedade que vive num sistema tradicional e outro que nasceu respirando a idade contemporânea. Mesmo os que vivem no sistema tradicional como é o caso dos árabes se aderem ao sistema contemporâneo numa maneira muito rápida. Os mais anciãos tentam segurar, mas as crianças e os adolescentes ficam encantados com as novas tecnologias e possibilidades. Pessoas mais anciãs num sistema mais tradicional deixam os jovens a terem certos hábitos no modo de vida por não conhecer as coisas da atualidade. Um exemplo básico: Tem um jogo muito violento que está no mercado que é para maiores de dezoito anos, os pais veem os filhos jogando e deixam por não conhecer nada de videogames e por não saber que existe classificação para jogos de videogame.

Outro exemplo: Uma adolescente ouvindo uma música contrária a religião da família, como ela está usando fones de ouvido e a mãe não sabe como funciona o aparelho a mãe não sabe o que sua filha está fazendo.

Acredito que os modos de vida dos jovens que serão os adultos amanhã vai ser muito diferentes dos modos atuais, até mesmo em sociedades tradicionais a globalização está “entrando”. Como será que vai ser os modos de vida daqui algum tempo?

Conclusão

O século XXI trouxe muitos benefícios pelo desenvolvimento da tecnologia e novas ideias. Mas a questão moral do ser humano entrou em decaída e a questão do poder concentrado que está dominando as coisas.
Agora a solução é achar os problemas causados após o pós-modernismo para revermos o alguns conceitos. Até que ponto ficamos dependentes da tecnologia e somos vítimas do comodismo?
Será que a máquinas vão dominar o homem? Até aonde as pessoas sabem os limites do pensar e de terem produtos prontos.
Pense sobre o futuro que quer construir.O século XXI trouxe muitos benefícios pelo desenvolvimento da tecnologia e novas ideias. Mas a questão moral do ser humano entrou em decaída e a questão do poder concentrado que está dominando as coisas. Agora a solução é achar os problemas causados após o pós-modernismo para revermos o alguns conceitos. Até que ponto ficamos dependentes da tecnologia e somos vítimas do comodismo? Será que a máquinas vão dominar o homem? Até aonde as pessoas sabem os limites do pensar e de terem produtos prontos. Pense sobre o futuro que quer construir. século XXI trouxe muitos benefícios pelo desenvolvimento da tecnologia e novas ideias. Mas a questão moral do ser humano entrou em decaída e a questão do poder concentrado que está dominando as coisas. Agora a solução é achar os problemas causados após o pós-modernismo para revermos o alguns conceitos. Até que ponto ficamos dependentes da tecnologia e somos vítimas do comodismo? Será que a máquinas vão dominar o homem? Até aonde as pessoas sabem os limites do pensar e de terem produtos prontos. Pense sobre o futuro que quer construir.

 

Os vícios e a prisão de um ser só

A realidade é algo que muitas pessoas querem fugir ou apenas se ver longe dela por um tempo. Um caminho escolhido para ter novas experiências são as drogas. Com o tempo as drogas deixam de ser a liberdade do novo mundo para se tornar a prisão de um mundo complicado de sair. 

Algumas drogas são totalmente aceitas que a sociedade nem enxerga mais aquele elemento como uma droga. O belo exemplo que conhecemos é o álcool. 

Eu ainda estou atraindo viciados em álcool para a minha vida, mas a reação que estou tendo com este fato está totalmente diferente. Aprendi muita coisa através do meu pai e das tentativas da minha mãe de libertá-lo da vida que ele tem. 

Nós não temos a a capacidade de libertar os outros de suas prisões, apenas a pessoa que está dentro do mundo dela pode encontrar a solução de sair dali. Apontar os erros, culpar, fazer pressão, mostrar o que esta pessoa está perdendo e o que ela está ruindo não vai adiantar nada. 

Aprendi a não carregar dores que não são minhas. Apenas aprenda a não carregar pesos que não são seus. Viva o seu mundo e tente chegar no mundo maravilhoso. Todos nós estamos presos em várias prisões, com o tempo alguns se colocam em mais prisões, enquanto outros cada vez ficam mais livres.

Palavras vazias não fazem nenhum efeito sobre mim. Eu sou quem sou e sei onde posso chegar, não é ninguém dentro de uma prisão que vai consegui mudar o meu rumo e atrasar os passos para chegar no mundo melhor. Cada um é responsável por seus atos e cada um aguente as consequências daquilo que faz. 

Os sábios sabem que necessitam despertar, ouvir e aprender. Os ignorantes acham que sabem demais e não precisam de ninguém, pois no coração pensam que são invencíveis. A mensagem para aqueles que querem ficar na prisão: Nem lamento. 

Fonte: bellabassfly.blogspot.com.br

A experiência de andar de ônibus – Nova realidade

Para quem acompanha um pouco da minha rotina, sabe que, normalmente saio de bicicleta para onde devo ir. Agora como vou começar a estagiar em outra cidade, vou ter que começar a pegar ônibus. Quando comecei a estudar em uma escola muito longe há algum tempo atrás, tinha que pegar ônibus para ir à escola, mas preferia ir andando, pois dava o mesmo tempo, mas chegava na escola muito suado. 

Fonte: folhavitoria.com.br

Dessa vez a minha única opção é o ônibus. Estar dentro de um ônibus não é algo muito agradável. O ônibus municipal de Vitória não é tão ruim, pois não vejo muitas pessoas estranhas e a viajem é mais tranquila. Já as linhas intermunicipais possuem um ambiente mais precarizado. Já peguei gente com música alta dentro do coletivo, é mais comum ver alguns pivetes (e adultos) pulando roleta. O cheiro também é bem ruim. 

A ida para o estágio é mais tranquila, tem mais estudantes e pessoas indo trabalhar. A volta para casa tem o clima mais pesado. O trânsito agarra um pouco e tem alguns seres estranhos dentro da linha. 

Vejo que as pessoas estão muito descuidadas. Vi várias pessoas com celulares caros expostos ouvindo música como se estivéssemos vivendo em um país seguro. Depois que fui assaltado, não dou mais nenhuma bobeira. 

Um lado positivo do estágio é que o prédio é muito próximo do terminal. Posso ir andando até o terminal sem problema algum. O engraçado de morar na Grande Vitória é que sempre se encontra um conhecido na rua. Lá no terminal vi um rosto conhecido e peguei ônibus com as mesmas pessoas do dia anterior. 

Toda vez que pisar naquele terminal vou pedir proteção e que toda viagem que realizar seja tranquila. Vou tentar prestar mais atenção no trajeto para melhorar meu senso de direção. 

Tempo perfeito e passeio com um amigo

Ontem tive o dia bem abençoado. Fiz comida, tirei cópias de alguns documentos e mais no final da tarde sai com um amigo. 

Fomos ao Shopping Vitória e foi bem legal. Ele ficou me perturbando, querendo que eu fizesse natação com ele e com outro amigo nosso. Eu disse que estava sem roupa de banho, ele falou que ia comprar para mim. Não estava acreditando muito, pois ele fala muita bobagem. 

Realmente, fomos ir comprar a roupa para natação. Esperei ele em frente ao cinema, depois ficamos rodando o shopping. Tinha uma exposição de carros antigos bem interessante, pena que não levei minha câmera para tirar foto. Entramos em várias lojas e acabamos finalizando as compras na C&A. Ele queria umas blusas muito feias, falei que estava feio, depois ele trocou por umas peças melhores. 

Depois disso ele pagou o jantar para nós, estou evitando comer glúten e foi bem difícil achar algo para comer. Comemos arroz, feijão, farofa, alface, cada um escolheu uma opção de carne e de bebida tinha um refrigerante pequeno. 

Fomos nas Americanas, ele comprou uns doces e me deu uma bala de gelatina sem açúcar. 

Normalmente eu não aceitaria nada de ninguém. Pois eu teria que retribuir o que as pessoas fizeram por mim de alguma forma. Eu via isso como um fardo, mas agora estou aprendendo a receber e que entregar deve ser uma ação natural, não é um peso ou algo ruim.

Eu agradeço este amigo por ter saído comigo, ter amizades significa que você não está sozinho e pode ter alguém com quem contar. 

Ontem o tempo estava perfeito, não estava quente, nem muito frio. Quando fui embora começou a chover um pouco, mas deu para voltar para casa sem muito transtorno. Eu fui no shopping de bicicleta, na volta fui dando umas paradas e comendo a bala de gelatina, foi uma das melhores balas que comi na vida. Esta bala tem uma consistência muito boa e um sabor bem realçado. 

Fonte: mercadolivre.com.br