Metade das matérias concluídas – O que fazer da vida depois da graduação?

Finalmente estou com metade do curso concluído, vem aquela pergunta do que fazer depois de formado. Ainda tenho que formar, tem uns anos pela frente ainda de curso, mas já bate aquele dúvida do que fazer depois. Penso em fazer mestrado, mas não é simplesmente desejar fazer mestrado e pronto, é necessário toda uma preparação. Se não consegui passar na prova, o que devo fazer?

Várias opções passam na minha cabeça, como apenas trabalhar e juntar dinheiro, investir em um intercâmbio, fazer uma viagem. Como sou meio cigano, provavelmente depois de formado vou tentar a vida em outra cidade. Vou aproveitar estes anos tudo o que Vitória tem a me oferecer, não quero sair daqui com uma sensação que deveria ter feito e não fiz.  

Não estou tão preocupado com o futuro como um tempo atrás. Apenas quero fazer aquilo tem capacidade de fazer sem sobrecarregar o meu corpo e mente. Estava vivendo sob a frase “Quero dinheiro”, estou transformado esta frase em “O que posso realizar e como posso ser recompensado por isso?”

Estou aceitando o meu presente e o que posso aprender com ele. Não posso ser ingrato, pois nos últimos tempos tudo está encaminhando para dar certo. Ao meu redor vi como o medo bloqueia as pessoas, por causa dele, parte da sociedade toma um rumo onde não há satisfação. O medo de algumas coisas é um elemento que tenho que eliminar, daqui alguns anos, quero estar ciente que tentei realizar tudo aquilo que queria realizar. Quem sai fora da casinha é taxado como louco e pirado. Talvez preciso de uma loucura (positiva) para dar o primeiro passo de atividades que quero realizar.  

Não importa o que acontecer depois, apenas quero estar bem comigo mesmo e não viver a base de comparações. Cada um tem uma história diferente de vida, cada um tem seus desafios. 

Compras em março de 2017 na C&A, Boticário e Americanas

Havia mais de dois anos que não comprava roupas e as minhas antigas já estão bastante desgastadas. Minha mãe me ajudou no financeiro com um dinheiro a mais que ela ganhou. 

Tinha combinado de encontrar uma amiga no shopping Vitória. Eu pobre e ela pobre. Nós dois sem crédito e acabamos não conseguindo nos encontrar. Não consegui me conectar com a internet do shopping, apareceu no celular que estava recebendo wifi, mas nenhuma rede social abriu. 

Cheguei no shopping e fui no Boticário, levei uma desodorante body spray da Malbec para usar no dia-a-dia. Da Boticário tinha usado o Quasar, não gostei muito. Se eu não gostar desse desodorante, fui testar outras marcas ou fazer meu próprio cheiro (amo um DIY hahaha 😀 ). O produto custou R$29,90. 

Fui na C&A e comecei olhar algumas peças de roupas. Achei meio estranho a enumeração deles. Não vi muita diferença entre o PP, P, M e G. Parece que só a largura da manga que muda mais. A moça me atendeu e trocou o meu cartão da loja, o meu antigo estava bem desgastado. Perguntei qual o melhor período para comprar roupa, ela disse que é em janeiro e fevereiro, pois é a época do ano que está fazendo renovação de estoque. Ano que vem, quero fazer esta pesquisa para ver se tem diferença. Na loja consegui encontrar algumas coisas legais, normalmente gosto de camisas sem estampa ou como uma estampa de um tema que gosto na frente. 

As camisas básicas estavam R$19,99. Vi uma camisa que estava escrito promoção no lugar que tem o preço, quando olhei embaixo na etiqueta estava um preço menor! Acredito que estava 17 e alguns centavos. Vi um artigo na internet que as lojas usam estes truques, acredito que no Buzzfeed, e realmente, as lojas sacaneiam com estas falsas promoções. É preciso tomar cuidado na hora de comprar e achar que está na fazendo bom negócio. Levei estas camisas, pois R$19,99 ainda está num preço muito bom. 

Decidi provar umas roupas listradas. Eu não sou muito fã de listrado, mas provei as blusas e gostei. Elas foram R$29,99. O que mais amei foi as blusas escrito Tokyo, estas também foram R$29,99. Decidi levar umas meias (3 pares por R$15,99) e pela primeira vez comprei uma boné de aba reta, nele estava escrito New York na frente (custou R$29,99), quando sair de manhã ou a tarde que tiver um sol muito forte, pretendo usá-lo. No fim ganhei 10% de desconto. Poderia gastar R$300, mas não tinha gostado mais de nada, por isso levei o boné. 

Já estava doido para ir embora e me encontrar com a minha cama. Mas não queria perder a viagem, fui na Americanas em busca de uma mochila descente para o início das minhas aulas da graduação. Não achei nenhuma mochila de qualidade boa. Acabei comprando tortuguita de chocolate branco (R$0,79) que não acho em nenhum outro lugar, prestobarba da Gilette de duas lâminas com duas unidades (R$8,99), um caderno simples de 10 matérias (R$9,99), um desodorante da Adidas que nem sabia que existia (R$9,99) e um suco Ades de soja sabor uva (R$2,99), acabei nem mostrando o suco no vídeo. 

Como não sou de ferro. Antes de ir embora peguei uma casquinha do Bob’s que no fundo tinha chocolate. Custou R$3,00.

Já estava tarde da noite, mas o ponto de ônibus estava cheio. Tinha muita gente voltando para casa. Deu tudo certo e cheguei em casa bem. 

Se preparando para voltar a rotina

Fiquei uma semana parado dentro de casa por causa da falta de segurança. Agora perdi um pouco o fio da meada. Minha evolução na academia voltou umas casas, hoje se tudo der certo vou começar a fazer exercício. Tenho a sensação que é a primeira vez que estou indo à academia.

Pelo jeito o restaurante da UFES não vai abrir hoje, vou ver se faço alguma coisa para comer em casa. Vou sair só no horário da academia, desse modo evito passar transtorno por me deslocar a toa e não ter nada aberto.

Aproveitei o tempo livre e lavei todas as roupas que precisava lavar. Ainda estou sem máquina ou tanquinho, lavar roupa a mão é uma tarefa muito complicada. Tomara que consiga mudar desse prédio, estou cansando de gastar muito tempo lavando roupa.

Algumas coisas ainda continuam me incomodando aqui, como cheiro de cigarro e música alta. Estou profetizando coisas boas para atrair pessoas melhores para a minha convivência.

Por não ter nada o que fazer, nesses dias vi muitos documentários. Comecei a refletir sobre alimentação e qualidade de vida. Ultimamente estou perdendo muito cabelo e me sentindo muito fraco. Vou tentar diminuir a quantidade de alimentos de origem animal e fazer o máximo para regular o meu sono. Já tentei meditar os meus objetivos na hora de dormir, mas isso não deu muito certo. A única maneira de relaxar e consegui dormir rápido é focando na minha respiração, outros métodos não deram certo para mim.

Fiz uma lista de atividades bem minimalista e separei as prioridades de uma maneira que consiga aproveitar melhor o dia a dia. Agora acredito que consigo fazer minha produtividade voar. Até o fim do ano tenho o objetivo de entender uma conversação em Chinês (Mandarim) e ficar tranquilo com as matérias da graduação.

 

Reprovação em estatística e mudança de planos

Infelizmente tive minha segunda reprovação na graduação. Fiz a incrível loucura de ter pego sete matérias, ter acumulado atividades da monitoria e ainda ter que fazer as atividades do boletim do conjuntura. 

A matéria não estava a coisa mais difícil do mundo, mas a professora passou uma carga de atividades muito elevada. Era necessário muita dedicação na disciplina. Muitas questões na prova eram lógica e isso dificultou muito as coisas para mim. 

Já sabia que não fui bem na prova final, mas quando vi minha nota final, meu coração ficou um pouco apertado. Fiquei muito triste com meus resultados, mas enfim, não tem como voltar atrás.

O triste é que  a disciplina de manhã e a noite foi muito mais fácil. Vou ter que fazer alguma coisa para começar a trazer energias melhores para a minha vida. Tenho muito azar em tudo. Não passei por causa de uma questão errada a mais. Uma mísera questão faria com que eu tivesse passado na matéria.  

Exatas realmente não é para mim. São matérias que me deixa estressado e me dá desânimo. Expresso conhecimentos mais facilmente com leitura. Números me aterrorizam um pouco, algo errado em todo o processo pode destruir todo o resultado. É muita pressão, não há um meio termo, está certo ou errado. 

Estou sentindo uma pressão enorme dentro de mim. Para me formar em um tempo bom, não posso cometer mais nenhum tipo de erro. Estou doido para ter a tão sonhada independência. Acredito que depois que começar a trabalhar, posso ficar um pouco mais tranquilo.

No final de tudo, estou muito preocupado com as matérias, pois quero me formar. Com um diploma, ir atrás de algo para conseguir ter uma renda.