Metade das matérias concluídas – O que fazer da vida depois da graduação?

Finalmente estou com metade do curso concluído, vem aquela pergunta do que fazer depois de formado. Ainda tenho que formar, tem uns anos pela frente ainda de curso, mas já bate aquele dúvida do que fazer depois. Penso em fazer mestrado, mas não é simplesmente desejar fazer mestrado e pronto, é necessário toda uma preparação. Se não consegui passar na prova, o que devo fazer?

Várias opções passam na minha cabeça, como apenas trabalhar e juntar dinheiro, investir em um intercâmbio, fazer uma viagem. Como sou meio cigano, provavelmente depois de formado vou tentar a vida em outra cidade. Vou aproveitar estes anos tudo o que Vitória tem a me oferecer, não quero sair daqui com uma sensação que deveria ter feito e não fiz.  

Não estou tão preocupado com o futuro como um tempo atrás. Apenas quero fazer aquilo tem capacidade de fazer sem sobrecarregar o meu corpo e mente. Estava vivendo sob a frase “Quero dinheiro”, estou transformado esta frase em “O que posso realizar e como posso ser recompensado por isso?”

Estou aceitando o meu presente e o que posso aprender com ele. Não posso ser ingrato, pois nos últimos tempos tudo está encaminhando para dar certo. Ao meu redor vi como o medo bloqueia as pessoas, por causa dele, parte da sociedade toma um rumo onde não há satisfação. O medo de algumas coisas é um elemento que tenho que eliminar, daqui alguns anos, quero estar ciente que tentei realizar tudo aquilo que queria realizar. Quem sai fora da casinha é taxado como louco e pirado. Talvez preciso de uma loucura (positiva) para dar o primeiro passo de atividades que quero realizar.  

Não importa o que acontecer depois, apenas quero estar bem comigo mesmo e não viver a base de comparações. Cada um tem uma história diferente de vida, cada um tem seus desafios. 

Se conhecendo melhor – De dentro para fora

Por muito tempo uma das minhas maiores preocupações foi fazer amizades. Mas vi que, primeiramente devo me internalizar, me conhecer melhor antes de tentar preencher um vazio adicionando pessoas na minha vida. Eu não necessito ter muita gente a minha volta, sou mais reservado e me sinto bem tendo uma rede social pequena. 

Decidi deixar este desespero social para trás. Acredito que, nós vamos atraímos a energia que emitimos, se eu mudar internamente, o mundo externo também vai ser transformado.

Passei por situações chatas com pessoas que pensava que eram meus amigos. Agradeço por ter passado por certas coisas, pois assim pude aprender lições valiosas, aprendi a me afastar de quem não quer meu bem e também aprendi a ser uma pessoa melhor e não magoar os outros. Hoje em dia tomo muito mais cuidado no que vou falar e estou aprendendo a dar menos detalhes da minha vida com quem convivo. 

Grande parte do meu tempo é marcado pelo silêncio, agora quero aprender mais coisas com ele. Antes de ficar lamentando e ficar sofrendo por causa de solidão, vou fazer coisas mais produtivas que podem me ajudar a conquistar os meus sonhos. 

Por muito eu lastrei a minha felicidade em estar com os outros. Talvez tenho esses devaneios veio por influência da televisão, onde tudo parece perfeito e que os mocinhos sempre tem um amigo que pode ajudar até nas missões mais impossíveis. Eu me mudei muito, então nunca me fixei em um lugar para cultivar laços mais duradouros. 

Chegou um sentimento em mim dizendo para estar em paz comigo mesmo, fazendo isso o futuro vai ser próspero e que virão boas novas. O fato de tentar ser perfeito consumiu muito tempo da minha existência. Estou me vendo mais através da minha realidade e transformar meu ser a partir disso, viver em um mundo longe e utópico não vale a pena. 

Futuro de prosperidade que parece distante

Estamos em uma sociedade muito competitiva. No fundo todo mundo quer sobreviver. No Capitalismo o que dá segurança é o fator de possuir dinheiro. Eu, como a maioria da população está atrás disso. Alguns por questões de popularidade, outros por questões de poder. Mas a essência de ter dinheiro, é o fato de ser menos atingido por todas as crises que poderão vir. Acontece que os países mais pobres e pessoas mais pobres sempre sofrerão mais. 

Pessoas diferentes buscam motivos diferentes de alcançar aquilo que almeja. Eu escolhi o projeto da educação, que é um tipo de caminho que normalmente alguém pode se ascender e ser bem sucedido. Sou muito ansioso é o processo é lento. Sinto que como a minha vida estivesse parada e não tivesse saído do lugar. Não sei se fiz boas escolhas, muita gente consegue sair na frente fazendo concursos públicos em cargos que ganham bem e  que apenas precisam de ensino médio e outros escolhem o empreendedorismo. Talvez emendar os estudos e não ter parado tenha sido uma má ideia, ou não. 

Pensava que estar em uma universidade considerada boa seria sinônimo de sucesso. Me imagina estudando tranquilamente e já no primeiro ano tendo um estágio ótimo. Mas infelizmente as coisas não foram assim. Vi que tenho que esperar mais alguns anos para conseguir construir uma carreira. O sistema já está tão apertado que uma graduação não basta. É preciso ter intercâmbios, um MBA, mestrado e doutorado. 

Tudo parece tão estressante e as pessoas estão ficando loucas. O preço do progresso é muito grande. Durante o caminho muita gente se perde e fica para trás. Estava pensando o seguinte, é até melhor usar esse tempo que não tenho nenhum tipo de poder e comando para poder exercitar a minha maturidade e inteligência emocional, para que no futuro eu tome decisões melhores. 

Espero poder fazer as coisas bem feitas para ter a possibilidade de sair desse mundo como vitorioso.