Pressão para ter excelência acadêmica

Como comecei a estagiar, tive que fazer todo um trâmite burocrático para registrar o meu estágio. Uma professora conversou comigo falando que o limite de reprovação é uma matéria. Isso me deixou preocupado, este semestre estou tendo aulas com alguns professores considerados difíceis de passar. 

Agradeço a todos que me ajudaram a tirar uma nota boa em Estatística I para iniciar bem o semestre. Na próxima semana já começa a maratona de provas e devo fazer de tudo para passar nas disciplinas. Meu objetivo é focar principalmente em Macroeconomia III e Microeconomia II.

Fonte: mercadolivre.com

O professor de Microeconomia passou alguns exercícios em inglês, até consegui achar algumas coisas, mas o material para acessar tem que pagar. ‘-‘

Vou fazer o máximo para não entrar em desespero e ter inteligência emocional para lidar com as metas que tenho que entregar. Abri mão de muitas atividades para ter mais tempo para aquilo que é prioritário. Vou deixar para estudar Mandarim apenas nas férias. 

Fazer Economia não é fácil e não é para qualquer um. A maioria dos professoras não tem domínio de didática e fica difícil entender algumas coisas que muitos deles falam. Muitas vezes a matéria nem é difícil, mas pelo professor não saber transmitir as informações, se torna algo muito difícil de compreender. 

Espero trabalhar duro e colher frutos no final do semestre. Ainda estou procrastinador, mas sinto que a vitória contra esse inimigo está perto. Todas as atividades que me fazem desviar do foco de estudar estão sendo neutralizadas. Já me desapaguei quase que completamente do celular. As redes sociais sempre tem as mesmas coisas e praticamente não estou horas navegando em feed de notícias. Já estou enjoando de Youtube. Estou afunilando as minhas atividades e está ficando mais fácil estudar. 

Para manter este estágio tenho que estudar muito e vencer esta etapa. 

Semestre acadêmico puxado e prática do foco ao extremo

O semestre mal começou, mas deu para perceber que vai ser bem puxado e difícil. Não posso dar o luxo de deixar nada acumular. Vou fazer de tudo para fazer os exercícios e deixar as leituras em dia. Vou ficar um período sem ler assuntos fora da graduação, minha mente tem que estar totalmente focada para a Economia. Apenas dedicarei um tempo para escrever um pouco das minhas experiências na web, um tempo para estudar mandarim no Memrise e aprender conteúdos referentes as minhas matérias.

Com o tempo aprendi que tenho que ser mais político. Lidar com outras pessoas não é uma arte fácil. Alguns indivíduos não entendem opiniões diferentes e contrárias, e podem ficar bem irados quando não são vistos como interessantes. Sinto que lido com gente mimada, que apenas cresceu e não deixou estes traços infantis. 

Tenho que aprender a alinhar os estudos com as expectativas que os outros tem. Fico grato por ter visto certas situações, isso me fez mais forte e mais confiante. Esta experiência pode me desenvolver e me deixar mais focado. 

Evitarei ao máximo repetir erros passados, tenho que superar, evoluir e vencer os novos desafios. Estou trabalhando a minha mente para ver as coisas mais claras e estou sendo treinado para lidar com ambientes com muita pressão. No mercado de trabalho e no empreendedorismo provavelmente também estarei em ambientes com muita pressão por causa da competição. Competição esta que é uma amostra da sociedade da guerra que vivemos. 

Nestes últimos meses levantei a cabeça e vi que sou capaz. Não posso deixar o medo me paralisar. Este semestre da graduação não quero ficar com nenhum arrependimento. Darei o melhor de mim e o que for será. Não posso me prender a números como se eles fosse eu. O mais importante é o aprendizado, e como o conhecimento pode erguer abundância e prosperidade. 

O poder do agora – Vencendo a procrastinação

Aprendi um método muito interessante para vencer a procrastinação. Para manter o foco e conquistar metas aprendi o poder do agora. 

Por muitos anos absorvi esta cultura de deixar para depois. Isso me prejudicou e me prejudica em muitas áreas. Muitas vezes tive que fazer as coisas de qualquer jeito para entregar no prazo. Já aconteceu de eu ficar noites sem dormir para estudar para um prova sendo que poderia ter estudado o conteúdo durante o mês. 

O poder do agora é maravilhoso, visualizo mentalmente que agora estou impedido de fazer atividades que suga a minha produtividade durante o dia. Algumas atividades geram muita ansiedade para mim, um exemplo disso é olhar dados. Seja do número de visualizações desse site, até assuntos relacionados a matérias da universidade. Antes era fissurado em ficar olhando taxa de câmbio, sentia que era uma obrigação um estudante de Economia saber a conversão das moedas cotidianamente. Outro vício que tenho é ficar olhando e-mails e ver as últimas notícias do dia. Vi que estou fazendo muito esforço para tarefas que não acrescentam muita coisa na minha rotina. Já fiquei muito estressado por situações que acontecem no mundo, mas é desnecessário ficar assim, pois muitos assuntos estão fora do meu poder de controle. 

Estou me desligando de vários hábitos, deixei a mentalidade do depois e digo para mim mesmo que é agora que devo fazer o que tenho que fazer. Minha missão é deixar de ficar olhando dados quando não preciso deles, desligar de redes sociais (ficar olhando postagens de rede social não me dá uma sensação boa, muita gente despeja sua maldade e frustrações na internet, é melhor evitar este tipo de gente), evitar ver comentários de vídeos que assisto (a maioria dos comentários são esdrúxulos e não tem nada para acrescentar), não ver notícias quando não preciso delas (melhor ler um livro) e olhar e-mail uma vez por dia. 

Combatendo os inimigos estarei mais firme e mais forte para aprender mandarim, fortalecer minha leitura em economia e terei uma visão mais clara das atividades que tenho que cumprir. 

Muito tiro e explorando o mundo

Na transição da tarde para a noite me deu uma vontade enorme de dormir. Hoje foi um dia muito reflexivo para mim. Comecei a pensar e decidi que vou sacrificar muitos hábitos para poder alcançar o que quero sem entraves. Sinto que muitos hábitos que adquiri durante a vida estão sugando a minha felicidade e motivação, devo me desprender deles. Estou me esforçando para aprender a ter foco. Hábitos são que nem drogas é difícil se livra deles, mas eu vou conseguir. 

No meu sono, tive um sonho bem estranho, e acredito que ele me veio para me ajudar a entender algumas coisas. No sonho eu estava com um grupo de pessoas em um restaurante conversando. Nesse grupo que eu estava inserido parecia ter uma pessoa que não estava se enturmando bem, eu estava sendo a “ponte” para ela e os outros. Não lembro o que estava sendo falado, só me recordo do clima da conversa.

Depois chegou nesse restaurante um casal, e este rapaz que não conseguia se socializar, ele gelou quando viu os dois. Acredito que ele tinha fugido ou era um foragido. Talvez aqueles dois eram seus pais ou capangas que veio capturá-lo de uma maneira discreta no meio do povo. Eu percebi que algo normal não estava acontecendo e outros que estavam no lugar também sentiram a mesma coisa. 

Na próxima cena que visualizei já parecia estar tarde. Eu fiquei naquele restaurante com este rapaz, pois sabia que ele não poderia ficar sozinho. Perguntei bem discretamente se ele estava sendo vigiado. Estávamos sentados perto de um balcão, ele pegou nas minhas mãos apertando bem forte embaixo do balcão, começou a puxar este aperto de mãos bem apertado para cima e para baixo. O gesto que ele fez, não sei por que motivo, me deu a certeza que ele estava sendo vigiado. Depois só vi várias pessoas jogadas em cima das mesas, não sei se elas estavam bêbadas, envenenadas ou se houve algum tipo de confusão. 

De repente eu estava em uma casa (acredito que era uma casa) que tinha o comprimento muito grande. Nessa casa várias homens armados estavam atirando contra mim e alguém que parecia ser meu parceiro de guerra. Não sei se a pessoa que estava comigo era o rapaz do restaurante. Parecia que estávamos em um região mais rural. Lembro que peguei uma metralhadora e atirei em um cara que estava perto de atacar a outra pessoa que estava comigo. No caminho tinha vários corpos e armas jogadas no chão. Quando finalmente saímos da casa, fomos para em um quintal com um fundo de terra. Da porta dos fundo desse lugar saiu tipo um zumbi, sabia que não era um zumbi, parecia ser um ser de uma experiência de cientistas de guerra. Este ser tinha um corpo bem frágil, ele estava tentando atacar o meu amigo. Eu tinha uma arma na minha mão que tinha achado e estava com a munição. A bala que tinha ser colocado dentro do buraco daquela arma era enorme, eu estava tremendo muito e não consegui encaixar a munição. Larguei a arma, peguei uma bicicleta  que estava nesse quintal e comecei a espancar o “zumbi”, ele quase conseguiu me atacar, mas consegui quebrar os ossos dele e ele ficou imobilizado. Senti o veneno dele perto do meu rosto, foi bem assustador. Eu e meu aliado começamos a correr para um corredor. Pulamos um muro, este muro tinha uma passagem bem curta, pois tinha um telhado que cobria o local. Estava morrendo de medo daquele ser consegui se levantar  e vir atrás da gente. Por um momento percebi que tudo o que estávamos fazendo estava sendo vigiado. 

Vi que estava sozinho e voei em direção a uma praia, já estava de noite.  A praia era linda, antes da areia tinha uma área gramada cheio de coqueiros e luzes. Este lugar parecia ser uma propriedade privada, disse bem alto para alguém do local que aquilo não foi o suficiente para me matar. Depois de ter falado com este misterioso que quis me matar, comecei a voar pelo mundo. O interessante que vi lugares que pareciam muito familiares, como já estivesse ali muitas outras vezes. Eu sabia que poderia mergulhar nas profundezas no oceano, mas o medo me bloqueava de fazer isso. Durante meu caminho vi muitos e muitos navios. Parecia que eu tinha medo do mar aberto, então seguia voando para perto da terra firme. Em alguns lugares consegui ver muitas pessoas, mas minha presença ali não gerava espanto ou qualquer tipo de reação. 

No final me vi em um comércio, tudo indica que tinha que encontrar com meu irmão em uma loja. Falei para o Luan que ele poderia comprar o que quisesse, eu não parecia estar muito preocupado com dinheiro. Parecia que tudo da loja poderia me pertencer. No sonho apareceu uma pessoa que conheço da graduação, ele estava me mostrando um espaço da loja que estava cheio de tiaras. Comecei a analisar aquelas tiaras de cabelo, nesse momento vi que todos os produtos ali eram de baixa qualidade. Pensei comigo mesmo, que poderia ter muito mais que aquilo. Peguei um objeto de plástico na mão que acredito ser uma tiara de cabelo e falei que se eu quisesse aquilo poderia ser de diamante ou algo mais precioso.  

Não faço a mínima ideia porque estava segurando um tiara, mas isso deve ter algum significado. Talvez este sonho quis me indicar que não devo me envolver com certos tipos de pessoas, ou mostrar um certo instinto protetor para aqueles que estão sob a minha responsabilidade. Depois que acordei, senti certa força em consegui focar nas minhas metas, ter coragem de renunciar e deixar um peso para trás. Ficou claro como meus medos estão me bloqueando, como que o medo está me bloqueando de usar minhas melhores armas e de ir explorar as profundezas. Vi que estava em uma loja barata, mesmo podendo ter tudo aquilo para mim, vi que mereço uma vida de melhor qualidade. 

Sou grato por estar passando por esta transição energética e estar me convertendo em algo que pode me levar para a iluminação. Tive a plena certeza que não estou totalmente só, sempre estou sendo vigiado, não posso ter essa ilusão que os meus atos não terão uma reação do universo.