Cegos do capitalismo – O sistema não é perfeito

Há muitos cegos do capitalismo, onde acha que o mundo vai parar aqui e que tudo está tão perfeito que não tem como melhorar. Acordem! O capitalismo é imperfeito, não adianta tentar cobrir os problemas. O capitalismo trouxe muitas facilidades para parte da população, mas tem o outro lado, que é a pobreza, miséria e quantidade de lixo produzido. Estes problemas precisam serem resolvidos, mas muita gente apenas está preocupada com seu PlayStation, iPhone e lanche do McDonald’s. As empresas capitalistas são vistas como os símbolos da prosperidade, pois elas podem oferecer produtos e serviços que podem melhorar nossa qualidade de vida, isso é verdade, o problema é quando inicia-se um processo de idolatração, como se o modelo de vida desenvolvido já fosse perfeito.

Pare de se iludir, maior parte das empresas não estão se importando com você, elas querem seu dinheiro, te oferecem algo em troca e só. Poucas empresas tem um propósito de desenvolvimento humano, e muitas só fazem apoio a sociedade para ganhar benefícios fiscais e incentivos governamentais. A sociedade está sempre em mutação e sempre está sendo modificada. O Capitalismo não reinará para sempre, nenhum sistema reinou eternamente até agora, por que seria diferente com o Capitalismo? Ele pode até existir mais algumas décadas ou séculos, mas com certeza, suas configurações serão diferentes da atualidade. Pare de idolatrar sistemas econômicos, imagina como seria ridículo na Idade Média um plebeu idolatrar a Idade Média e falar que era o melhor momento da história, imagina como seria ridículo uma comunidade tribal falar que aquela é a melhor forma de vida.

Apenas viva, dê o melhor de si para o seu desenvolvimento e/ou para o desenvolvimento da comunidade. Com o tempo as coisas vão se modificando, mudanças radicais têm a tendência de levar ao caos, estresse, guerras e tensões em geral.

Admito que tenho sentimentos ruins – Tarefa muito difícil de fazer

Por uma questão moral e religiosa é difícil assumir que temos um sentimento ruim. No lado bom e ruim da história, a maioria de nós queremos ser os bonzinhos e heróis. Mesmo um terrível traficante de alguma comunidade vai querer ser visto com bons olhos pela sociedade que ele domina. 

Fonte: br.pinterest.com/zerahgarchitore

Sempre achamos que os outros são ruins e é difícil fazer um raio-x interno. Primeiro temos que admitir que algo está errado para depois mudar. Desde criança tenho um sentimento de inferioridade, pois sempre via meus colegas de escola ganhando as coisas e eu tendo nada. Havia pessoas com uma situação financeira menos favorável que a minha, mas meus olhos só enxergava quem tinha mais. Até hoje, preciso trabalhar profundamente este lado e deixar ir embora esta vibração de escassez e falta.

Atualmente vi conhecidos tendo prosperidade, e eu na mesma situação. Foi muito difícil nomear este sentimento, é uma mistura de inveja acompanhada de humilhação. Pelo sistema que fui imposto, os números são elementos muitos importantes, ficar com o número mais baixos que outras pessoas é traduzido como derrota. Exemplos: dinheiro ganho, notas na escola, quantidade de cursos, quantidade de habilidades e pontuações de qualquer natureza.

Por muito tempo tentei suprimir esta negatividade dentro de mim, mas quando sentimos algo, as coisas transparecem. Sempre estou com uma face de desânimo, cansado e com muita ansiedade.

A ambição e ganância me dominaram. Só penso em ganhar dinheiro, o que fazer para ganhar dinheiro, sempre sinto a falta de alguma coisa para iniciar um projeto.  

Graças a pessoas iluminadas na minha vida, estou conseguindo me libertar de crenças limitantes e que me fazem muito mal. Vou focar no que posso fazer para me desenvolver e evitar ao máximo competir com os outros. Fui abençoado com oportunidades, devo desfrutar o que tenho e não viver pensando no futuro. 

Como começar a economizar – Dicas preciosas

Um hábito com treino se torna rotina. Economizar pode parecer difícil em um primeiro momento, mas a maioria da população pode poupar alguma parte da renda. 

Muitas vezes podemos ter sonhos que parecem ser difíceis de serem alcançados, como uma viagem por exemplo, mas este sonho pode ser realizável se pudermos mudar os nossos hábitos. Vamos vivendo o dia a dia gastando a renda com determinadas coisas (pequenos luxos), não é muito perceptível, mas com o passar do tempo aquele dinheiro pode representar uma grande quantia.  

Uma maneira de não economizar é criar barreiras e desculpas. Devemos deixar a energia de escassez de lado e lutar pela nossa riqueza. Para poder realizar alguns sonhos, alguns sacrifícios são necessários. Tenta cortar algum hábito e guarde este dinheiro que te faz gastar. Um exemplo: se você toma café no terminal de ônibus todos os dias, não fala mais isso.  

Uma coisa que me ajuda a controlar a poupar dinheiro é ter um cofre de barro que não tem saída. Alguns cofres podem ser abertos e reutilizados, para quem tem mais auto-controle, estes estilos podem ser muito bons. Mas quem é mais impulsivo e ansioso como eu, é melhor ter um cofre todo lacrado que só tem como retirar o dinheiro quando quebrado. 

Uma dica para quem vive com os pais. Quando eu era criança tinha o hábito de guardar dinheiro e adorava fazer isso. Toda vez que ganhava dois reais, ia no banco e fazia um depósito (sabia mexer com caixa eletrônico desde muito novo). Algo me desanimava muito, toda vez que tinha certa quantidade de dinheiro e pedia algo para a minha mãe, ela falava “Você tem dinheiro, então compra”. Quando surgia um imprevisto tinha que gastar aquele dinheiro guardado. Se você pode passar por esse problema, junte suas economias, esconde e não fique avisando para o mundo que você está economizando e tem dinheiro disponível. 

Tente visualizar seu sonho e o que você quer conquistar, se imagine no lugar ou com um objeto que você quer. Isso é um exercício muito bom para não desistir de lutar e também ajuda a controlar a impulsividade do desejo momentâneo. 

A influência da rede Globo no Brasil

A Rede Globo é uma das maiores empresas no ramo da telecomunicação. Muita gente endemonia a Globo com teorias de conspirações. A realidade é que a Globo é uma empresa como qualquer outra, e uma empresa tem a tendência de escolher o que é melhor para ela.  

Mesmo que as pessoas falem mal, não retira o fato que tal empresa influencia a vida do Brasil em geral. Todos os meios de comunicação possuem um conteúdo muito ruim. Tudo é muito sexualizado, todas as redes de televisão tratam a mulher de maneira muito sexualizada. O incrível é que muita gente acha isso normal. Se eu tivesse um filho(a), nunca que deixaria ele(a) ver televisão brasileira. Os princípios ficam muito distorcidos. Muita gente usa o argumento que criança não entende o que está sendo passado, acontece que, com o passar dos anos as coisas vão se encaixando. Como as coisas são colocadas na televisão, não são programações que fazem a mente humana evoluir. 

Não acredito que a Globo seja a malvada como muitos dizem. A empresa faz o que dá audiência e o que público gosta de ver. Audiência significa publicidade, publicidade significa dinheiro, dinheiro que faz com que as pessoas sobrevivam no sistema que vivemos. O problema é o público. Sem público não há espetáculo. 

Uma sociedade com um nível de educação melhor vai demandar conteúdos melhores e começará a questionar o que é passado como notícia. Uma mentira em que as pessoas precisam parar de acreditar é que existe mídia imparcial. Na vida, tudo o que envolve o mundo humano se torna parcial. O mundo político pode dar uma contribuição para a mídia, desse modo todo mundo ganhar dinheiro em cima de alguma coisa. Troca de favores envolve distorção de notícias. Distorção de notícias pode significa quem ganha e quem perde. O ignorante desinformado vai apenas confiar naquilo que vê na televisão sem nenhum questionamento. 

Atualmente a Globo e outras redes de televisão se sentem ameaçadas. Uma fatia do público começou a mudar de mentalidade e conteúdos de televisão não e algo que agrada. Os jovens dessa geração não se interessam mais sobre programas televisivos. Na minha época de pré-adolescência só se falava em Malhação e Big Brother Brasil. Hoje em dia para uma grande camada da sociedade seria uma vergonha e pode até ser mal visto falar que gosta de tais coisas. Vejo no meu irmão o comportamento da nova geração, atualmente o que tem um peso muito grande são as séries do Netflix e canais no Youtube.  As mídias tradicionais são muito rígidas para passar por uma transformação, mas aos poucos elas estão sendo forçadas a mudar. 

A primeira tentativa é se apoiar no governo (que recebe muito dinheiro dessas companhias como a Globo) e tentar derrubar os novos negócios. O mundo digital está revolucionando o mundo. Negócios recém-nascidos podem ter um poder enorme de derrubar os grandes, grandes que estão décadas ou mais de um século no poder. 

Espero que daqui alguns anos estejamos melhor em conteúdo e que a concorrência force mudanças nos padrões da mídia.