Skip to main content

Qual o sentido de sentir dor? Castigo na vida

Avalie este post

Uma coisa que deixa a vida menos prazerosa é conviver com uma dor. A medicina avança para que possamos evitar este terrível desconforto. Durante a vida já senti dores de todo o tipo. Já cai e machuquei, dor de cabeça, mal-estar depois de uma viagem que resulta em um desconforto horrível no estômago, já quebrei ossos duas vezes e outras situações. Nenhuma dessas dores compara com a pior dor que estou sentindo este ano. Inflamação nas amígdalas é algo insuportável para mim. Se sentisse esta dor por grande período de tempo ou se tivesse uma dor com um grau maior preferia não ter vida.  

Sou um ser humano que odeio sentir dor. Na minha cabeça não faz sentido alguém gostar de dor. Fico pensando como deve ser sofrido ser mulher que sofre muito mais do que nós homens.  Deve ser horrível sentir cólica. O pior é ser pobre e não ter acesso digno a saúde quando se necessita. Em outubro tinha ido ao médico, levei duas injeções e tomei anti-inflamatório (que resolveu de nada). Comecei a sentir dor de novo, fui no posto de saúde. No posto eles avisaram que simplesmente não tem mais vaga para consulta. 

Infelizmente em algumas situações temos que buscar automedicação. Isso não é algo recomendável e o bom seria que não precisasse ser feito. Mas não tem como ficar sofrendo passivamente. Nos meios de comunicação dizem: “Procurem um médico”. Procuro o médico e não tem profissional disponível. Acredito que isso deva ser realidade de muitas pessoas. 

A melhor coisa é ter uma vida saudável para evitar males da vida. O processo de viver é um pouco triste. Parece que tem pessoas que vem para este mundo com a função de sofrer. Quando sentimos dor, de certo modo, passamos a valorizar melhor os momentos bons.

Evite o sofrimento, cuidado com a saúde e aproveite os dias bons.

Ramon Cristian

Estudo Ciências Econômicas na UFES. Sou apaixonado pela cultura asiática. Pretendo ensinar, mas sem deixar o espírito empreendedor de lado. Quero me especializar na área financeira ou desenvolvimento econômico. Sou fascinado por todos os temas que mostram a expressão humana, como arte, literatura, cultura e moda.