Skip to main content

O que realmente é ser um adulto

Avalie este post

Quando estamos em transição de uma fase da vida para outra, há muita expectativa de como vai ser as possíveis mudanças. Vou mostrar minha experiência do que realmente é ser um adulto. 

Fazer dezoito anos não significa que terá independência total e que não precisará mais de ninguém.

Nessa nova etapa, muita gente ainda é dependente dos pais, alguns conseguem ser parcialmente mais independentes financeiramente e o mais raro, há aqueles que conseguem se estruturar a partir da juventude. 

A mentalidade de algumas pessoas é a mesma desde a adolescência, não variando muita coisa, acredito o que desenvolve o amadurecimento do ser humano é quando se tem filhos. Em tempos anteriores quando as pessoas tinham filhos bem cedo, elas tinham uma carga de responsabilidade muito maior, então temos a impressão que elas eram mais maduras.

Na universidade tem situações que são muito mais infantis que no ensino médio. Uma vez uma amiga minha me falou “Os adultos são que nem crianças, você fala para uma criança que não pode fazer e ela faz, com os adultos é a mesma coisa”. 

Saí da casa da minha mãe com dezessete anos por causa dos estudos, aprendi muita coisa que antes era automático para mim. Nunca tinha marcado uma consulta com médico na vida, tive que aprender a esperar nas filas para isso. Tive que aprender a saber como controlar a quantidade de comida que devo fazer, ter a melhor estratégia para poder maximizar a utilidade do dinheiro para fazer uma compra satisfatória no supermercado e que economizar energia é importante para sobrar dinheiro para poder fazer outras coisas. 

Acredito que é muito importante ser responsável. Vejo que muita gente anda desmotivada e se vê muita desesperada quando gradualmente se tem a necessidade de ter mais independência. Todo processo é um pouco difícil no começo, mas vamos nos adaptando. 

Ramon Cristian

Estudo Ciências Econômicas na UFES. Sou apaixonado pela cultura asiática. Pretendo ensinar, mas sem deixar o espírito empreendedor de lado. Quero me especializar na área financeira ou desenvolvimento econômico. Sou fascinado por todos os temas que mostram a expressão humana, como arte, literatura, cultura e moda.