Skip to main content

O que esperar de 2017

Avalie este post

2016 no geral não foi um ano bom para a maioria dos brasileiros. Tivemos inflação alta e desemprego em níveis recordes. Passamos por uma turbulência política muito forte e as pessoas se tornaram mais radicais na suas ideias. Foi um ano de seca, fome em vários lugares do mundo e de guerras. Por ter sido um ano difícil, os empreendedores agiram na dificuldade para a criação de novas ideias para solucionar os mais diversos problemas. 

Em 2017 terá Donald Trump como presidente, isso vai fazer com que a incerteza política seja maior. Não sabemos como que vai ser os impactos de suas ações, ainda está tudo na base da especulação. Espero que a Venezuela consiga encontrar uma forma de controlar a economia, pois se o conflito no país piorar, a situação da América Latina vai ficar em uma posição bem complicada. Tudo indica que a relação entre a Rússia e China com Estados Unidos vão ficar menos amigáveis. Conflitos por causa de espionagem estão ficando cada vez mais evidentes, algo que seria difícil de imaginar alguns anos atrás. 

No Brasil, o salário mínimo vai ter um aumento irrisório. Entretanto várias cidades vão aumentar absurdamente o valor da passagem de ônibus, fora os outros gastos que aumentam em janeiro. O brasileiro vai ter mais contas a pagar e menos para poupar. Espera-se que tenha um início de recuperação na economia, pois outro ano de recessão vai ser o início de um estado de calamidade. Agora por ter restrição nos gastos do governo, a gestão pública terá que ser mais eficiente. Vai ficar muito mais evidente os gastos públicos. O ódio ao sistema governamental está ficando cada vez maior, se o governo quiser ser um órgão importante e respeitado, ações tem que ser feitas. Ideias liberais estão se tornando populares, pois se tem a noção que o governo apenas rouba e não é capaz de fazer nada pela população. 

No longo prazo tal sofrimento vai ser bom para os brasileiros. Depois de toda esta tempestade, entende-se que muita gente vai valorizar mais o dinheiro e recursos que tem disponíveis. A lição de ser mais prudente e cauteloso vai estar penetrado na mente de muitos. 

Na Europa vejo que o controle a imigração vai ficar maior. A União Europeia abriu as fronteiras, mas tudo indica que para os próximos anos este tipo de política seja desconstruída. A morte por causa dos naufrágios está sendo banalizada e a intolerância a cultura estrangeira tem a tendência de se tornar mais frequente. 

2017 vai mostrar que o desafio de uma sociedade globalizada é muito mais difícil do que se imaginava. As pessoas não querem se ter seus modos de vida e costumes confrontados. 

Ramon Cristian

Estudo Ciências Econômicas na UFES. Sou apaixonado pela cultura asiática. Pretendo ensinar, mas sem deixar o espírito empreendedor de lado. Quero me especializar na área financeira ou desenvolvimento econômico. Sou fascinado por todos os temas que mostram a expressão humana, como arte, literatura, cultura e moda.