Skip to main content

O hábito de beber chá

Avalie este post

É meio estranho para a nossa cultura ficar bebendo chá. O café está tão enraizado que uma mudança de padrões parece difícil. Nunca fui muito fã de café, não gosto de refrigerante de cola, pois me lembra café. Eu sinto um gosto de queimado e não acho a sensação legal. Estou tentando abrir minha mente para coisas novas, como tomar café de vez em quando, comer pimentão, pimenta e mamão. É um pouco difícil quando se cria aversão a alguma coisa.

Sempre fui fã de cultura asiática, e nos filmes, doramas e animes, os personagens em algum momento podem ter uma hora de tomar chá. Descobri em um período da minha vida que na Inglaterra também tinha a hora do chá, e era chá com leite. Decidi testar mate com leite, e gostei.

Normalmente só se fazia chá em casa quando alguém estava muito gripado e com mal de garganta. Tomo mundo achou estranho quando passei a tomar. Depois descobri outros sabores e sai um pouco do mate.

Nos supermercados se encontram os sabores “tradicionais” como erva-doce, capim-cidreira, boldo, camomila e maça, não tem muita variedade. Achei um sabor interessante de chá que não tinha encontrado antes, que é o de hibisco. Foi a primeira coisa na vida que consegui tomar sem açúcar.

Vi um vídeo da Camila Pipoka falando sobre o assunto, e nos comentários têm uma discussão boa sobre isso.

Canal dela: goo.gl/WEqCP5

O vídeo: goo.gl/2NioWu

Depois disso tentei tomar mais sabores sem açúcar para potencializar os benefícios do chá. Finalmente em um dia consegui achar chá verde, a sensação de tomar a bebida sem açúcar não é muito boa, mas com o tempo se acostuma. Diminuir a quantidade de açúcar no organismo é muito bom para a saúde e depois de um tempo vira um hábito e tudo fica mais fácil.

É bom ter construir hábitos para melhorar a saúde para ter melhor qualidade de vida.

Ramon Cristian

Estudo Ciências Econômicas na UFES. Sou apaixonado pela cultura asiática. Pretendo ensinar, mas sem deixar o espírito empreendedor de lado. Quero me especializar na área financeira ou desenvolvimento econômico. Sou fascinado por todos os temas que mostram a expressão humana, como arte, literatura, cultura e moda.