Skip to main content

O escândalo da adulteração da carne – Isso é mais comum do que se imagina

Avalie este post

Duas empresas brasileiras muito importantes estão sendo investigadas por suspeita de adulteração dos seus produtos. Era feito uma manobra para poder reaproveitar carne estragada e colocar os produtos no mercado como algo fresco. 

Hoje se busca o lucro de tal forma, que toda ética é jogada privada a baixo. Isso não é culpa do sistema, é falta de caráter mesmo. Há muitas empresas que providenciam produtos de qualidade e que não são valorizadas. Somos muito induzidos a comprar por causa das propagandas das principais marcas de um setor. 

Deveríamos nos preocupar menos com quantidade e valorizar mais a qualidade do que vestimos, temos e comemos. Tantos escândalos que vi até agora, principalmente no setor de alimentação, que é até uma motivação a mais para ter uma alimentação mais saudável. Quando menos processado um alimento, melhor. É mais confiável, mas não totalmente seguro, pelo menos diminui-se o risco. 

A melhor opção seria produzir o próprio alimento e não ficar dependendo de fontes não-confiáveis. Escândalos acontecem em qualquer do mundo. Seja o país desenvolvido ou subdesenvolvido. Tenho a impressão que no Brasil, falcatruas acontecem com mais frequência e é um motivo de preocupação muito grande. 

Não aguento mais ver episódios de adulteração de carne e leite. A Anvisa (um órgão que não acredito que é totalmente confiável) sempre está alertando para não comprar molhos de tomate com excesso de pelo de rato, salgadinhos com coliformes fecais e outros tipos de absurdos que frequentemente são noticiados.

adulteração de produtos alimentícios Anvisa Ramon Cristian - O escândalo da adulteração da carne - Isso é mais comum do que se imagina

Nos dias atuais aumentou muito o número de pessoas doentes e com algum tipo de intolerância. Não tem uma explicação exata para o que está acontecendo. A alimentação é um dos fatores chaves para entender o porquê de tanta gente estar ficando cheio de doenças físicas, com problemas na mente e inférteis.  

Temos sempre que prevenir para depois não sofrer com algum mal. As empresas têm que olhar para seus clientes e valorizá-los mais, não os tratando como produtos. 

 

Ramon Cristian

Estudo Ciências Econômicas na UFES. Sou apaixonado pela cultura asiática. Pretendo ensinar, mas sem deixar o espírito empreendedor de lado. Quero me especializar na área financeira ou desenvolvimento econômico. Sou fascinado por todos os temas que mostram a expressão humana, como arte, literatura, cultura e moda.