Skip to main content

Minhas fugas de fazer esporte e o retorno ao exercício

Avalie este post

Sempre fui péssimo em esportes e nunca consegui dar continuação em um sequer. Grande parte do meu ensino fundamental eu estudei em uma escola que tinha vários esportes. A escola tinha uma boa estrutura, tendo campo de futebol, quadra poliesportiva, pista de atletismo, piscina e outros espaços. Fico pensando, se tivesse aproveitado este tempo e ter feito pelo menos natação, acredito que hoje seria um pouco mais alto. 

Minha mãe sempre me obrigava a fazer alguma coisa, mas sempre tentava um meio para fugir. Já tentei começar a fazer basquete, natação, atletismo, luta livre e voleibol.  Fiquei mais tempo no vôlei, pois eu gostava. Queria muito fazer natação, mas morria de vergonha (teria vergonha até hoje). 

Fui uma criança muito ativa. Virava ponte, ficava de ponta cabeça na parede, no esconde-esconde subia em árvore alta e coisas do tipo. Só que nunca gostei de ter um compromisso e ser obrigado a fazer algo. 

No vôlei que comecei a ir nos treinos e ter mais compromisso com os horários. Só que uma vez quebrei o dedo jogando e depois quebrei uns ossos perto do punho, aí fiquei traumatizado e desisti. Depois disso, minha mãe não me molestou mais. 

Depois de adulto que comecei a me preocupar com isso de novo. Minha saúde deu uma caída, não sei se é algo físico ou psicológico. Já fiz vários exames e todos deram normal. Minhas unhas e meu cabelo ficaram mais fracos (tendo muita queda dos fios), antes eu poderia puxar meu cabelo na força que fosse que não soltava um fio. Também sinto meus olhos mais “pesados”.

Até agora nunca tive nenhum relacionamento. Sei que pode ser uma coisa superficial da minha mente, mas sua imagem física no exterior tem uma certa importância para fazer contatos. 

Quero retornar a fazer esporte, focando o lado da saúde como o social. Vou começar devagar e depois aumento a intensidade. Não admito não conseguir sair do sedentarismo. Gostaria de poder acompanhar a minha evolução física e mental para poder incentivar outras pessoas.

Com muita vergonha vou postar algumas fotos para comparar as mudanças daqui alguns meses. 

Antes de fazer academia 1 - Minhas fugas de fazer esporte e o retorno ao exercício

Antes de fazer economia 2 - Minhas fugas de fazer esporte e o retorno ao exercício

Dezembro de 2016 – Finalmente vou começar a fazer academia (se tudo der certo)

Estou com o orçamento apertado e nunca daria para pagar para fazer uma academia. Uns meses atrás cheguei bem cedo na academia da universidade para poder fazer a inscrição. O preço que a UFES cobra é muito mais barato do que uma convencional. O valor desse ano está R$30,00, normalmente aqui em Vitória, o valor na maioria das vezes ultrapassa os R$100,00, perto da minha casa o mais barato que encontrei foi R$59,90. 

Mesmo chegando cedo, não consegui ser chamado de imediato. Fiquei na lista de espera e tinha duas pessoas na minha frente no horário e nos dias que estaria disponível. Depois de alguns meses me chamaram. A rotatividade dos esportes e musculação na universidade é muito rápida, principalmente porque não pode faltar mais do que três vezes, então a pessoa perde vaga no projeto em que se inscreveu. 

Tive que pagar R$25,00 em um exame ergométrico e tenho que fazer outra na próxima semana. Através desses cuidados, pode-se saber se a pessoa pode fazer musculação. 

Estou um pouco ansioso. Fiz academia por um mês, mas acabei desistindo. Não ligo muito para o mundo fitness, mas acredito que fazer esporte vai ser bom para mim. Pode ser uma ferramenta para aliviar o estresse enorme que estou sentindo, sair do sedentarismo e melhorar a autoestima.

Agora é ver se os horários das aulas vão encaixar. Se sim, eu tenho pelo menos um semestre garantido de academia. Depois vou sair se conseguir um emprego. Mesmo se eu começar a trabalhar, não quero desanimar e desistir. 

Para o próximo ano, vou seguir uma linha mais minimalista para não ter um overload de informações na minha mente e no final de tudo não conseguir fazer nada direito. 

Quero muito servir de inspiração para as outras pessoas. Acima de tudo, quero aprender a ter mais foco no alcance dos objetivos. Fazer exercício pode me ajudar a ter metas mais claras.

Janeiro de 2016 – Primeiras impressões da academia da UFES

Antes de começar a fazer academia, fiz alguns exames. Passei por um teste cardiológico e medições físicas. Descobri que tenho um corpo levemente assimétrico e com exercícios posso melhorar a questão de simetria. 

Depois dos exames, estava com a data marcada para começar. Sai da cidade onde minha mãe mora e vim para minha casa para começar o cronograma de atividades. No primeiro dia que estava agendado, o professor disse que naquele dia poderíamos marcar um dia para fazer alguns exercícios para me avaliar e montar a série. No dia marcado, ele pediu para fazer alguns movimentos e fez algumas medições. Não entendo nada de exercícios, então não faço a mínima ideia para o serviu tudo aquilo. No outro dia, ele me ensinou alguns exercícios e como usar alguns aparelhos. 

Vi que fazer academia vai ser muito mais difícil do que pensava. É muito movimento para aprender e tenho que dar conta de realizar todas as atividades propostas. O professor foi muito gente boa e teve muita paciência comigo. É tão estranho alguém te perguntar para fazer um movimento para a direita, para frente, esquerda e etc e minha mente demorar um pouco para processar a informação. Estava muito nervoso, não queria parecer muito burro. 

O ambiente da academia é bem família, com pessoas de todos os tipos e perfis. Pensei que chegaria em um lugar com todo mundo com o corpo tipo fisiculturista. Ser acompanhado por pessoas profissionais faz toda a diferença. Eles conseguiram identificar um objetivo para melhorar meu preparo físico que primeiramente possa fortalecer minha saúde, gostei desse olhar menos preocupado com beleza. Por mim mesmo, já tinha feito tudo errado. A academia da UFES é bem simples, mas é um espaço que dar para se sentir a vontade. O único lado ruim é a recepção, vou sendo mais simpático com as pessoas que trabalham lá para ver se eles amolecem mais o coração.

Setembro de 2017 – Iniciando mais uma saga na academia

Finalmente consegui ter coragem para iniciar a fazer exercícios na academia novamente. Tinha conseguido uma vaga na academia da UFES que é uma coisa quase que impossível (principalmente pelo fato da mensalidade ser R$30). Tive que sair, pois comecei a estagiar, como lá é muito lotado, não consegui outro horário, os horários são marcados, não pode chegar a qualquer momento e usar os aparelhos. 

Decidi me inscrever em uma academia do bairro. Perto da minha casa tem duas academias, uma é R$120, mas tem uma melhor infraestrutura e a outra é R$100. Escolhi a mais barata. Nos bairros próximos e não tão próximos assim o valor é a partir de R$100 ou mais reais. Nas cidades vizinhas de Vitória dá para achar mensalidades mais baratas, só que as coisas na capital tendem a ser mais caras. A academia Smart Fit tem um plano mais barato, mas tem taxa disso, taxa daquilo, não quis me estressar e ter dor de cabeça com isso. 

O pessoal da academia que me inscrevi pegou pesado comigo, não estava aguentando de tanto dor que senti nos três primeiros dias. Senti tanta dor, que no quarto dia nem fui, preferi ficar em casa. Depois desse descanso, minhas dores diminuíram uns 90%. Fui no quinto dia (contando a data da inscrição) e foi mais tranquilo. 

Agora se tudo se manter estável, pretendo fazer exercícios constantemente. Quero investir em saúde, uma das melhores formas de não ficar doente é a prevenção e exercitar o corpo é uma maneira de se manter mais saudável. Não tenho pressa, com o tempo meu corpo mais se desenvolvendo. Não pretendo ficar neurótico com alimentação. Vou manter a mesma dieta que estou seguindo e não pretendo tomar suplementos. Tenho um pouco de receio dessas substâncias, atualmente nem vitaminas mais estou tomando. Um registro de cinco dias de academia:

in%C3%ADcio academia Ramon Cristian - Minhas fugas de fazer esporte e o retorno ao exercício

Posso estar realizando uma postagem de mudança corporal mensalmente. 

início academia Ramon Cristian - Minhas fugas de fazer esporte e o retorno ao exercício

Ramon Cristian

Estudo Ciências Econômicas na UFES. Sou apaixonado pela cultura asiática. Pretendo ensinar, mas sem deixar o espírito empreendedor de lado. Quero me especializar na área financeira ou desenvolvimento econômico. Sou fascinado por todos os temas que mostram a expressão humana, como arte, literatura, cultura e moda.