Skip to main content

Minha experiência com celulares

Avalie este post

Telefones celulares são gadgets quase indispensáveis no nosso dia a dia. Já são quase a extensão do corpo de muitas pessoas. 

Meu primeiro celular foi no meu aniversário de 10 anos. Aquilo era a melhor coisa que poderia ganhar na vida naquele momento. Na minha sala e acredito que é um fenômeno que deve ter acontecido em outros lugares, muita gente estava ganhando seu primeiro celular. Eu tinha um celular simples da Nokia desse modelo da foto, mas o meu era todo cinza.

 

celular nokia Ramon Cristian 300x298 - Minha experiência com celulares

Uma amiga minha e outros que conheci tinha um parecido com esse modelo, mas já tinha a tela colorida e a atração principal era um joguinho de futebol. Nestes celulares mais antigos meu jogo favorito era um de nave, o nome dele é Space Impact. Claro que joguei muito o clássico jogo da cobrinha, muito popular nesta época. Na época a ostentação do momento era ter um celular da Motorola de Flip, tinha uma menina da minha classe que tinha um desse e jogava na cara de todo mundo o celular que os pais deram para ela. E pior que gostava dela, que vergonha desses tempos.

 

 

morotola celular ramon cristian 300x234 - Minha experiência com celulares

Logo em seguida, se tornou muito popular os celulares com Java, pois estes davam acesso mais fácil à internet, mas acessar internet pelo celular era apenas para as pessoas ricas, pois era cobrado por tempo de navegação. Os pais ficavam muito atentos às crianças e sempre havia aquele aviso para tomar cuidado para não acessar os aplicativos de internet para não gastar o crédito. Uma vez fomos visitar nossos parentes que moravam em Diamantina-MG, uma prima da minha mãe já tinha um celular com uma configuração mais avançada. Acho que era da Sony, não tenho certeza. Gostava de um jogo de golfe daquele celular. Fui abrir o navegador de internet, fiquei uns 30 minutos e gastei todo o crédito que ela tinha no telefone. Fiquei muito envergonhado. Os adultos tinham muito cuidado com este tipo de coisa, para não acontecer estes fatos.

Depois desse celular da Nokia, ganhei um celular xing ling. Desse modelo abaixo, mas o meu era um azul bebê (minha mãe que comprou sem minha consulta). Era os celulares preferidos de quem gostava de música alta.

Celular Mp20 Q5 Qwert 2chips  300x155 - Minha experiência com celulares

Não vai haver celular do universo com o som mais alto do que esse. A bateria não valia nada, mas não dá para esperar muito de uma coisa que falsificada que custava R$100,00. Ele tinha até televisão analógica. Uma amiga minha tinha um modelo parecido com o meu, mas o celular dela tinha Twitter, Facebook e outras redes sociais. Tentei por semanas para tentar fazer o meu pegar internet, mas sem sucesso. O engraçado que com uma foto ele já ficava com a memória cheia. Minha mãe deixou ele cair em um poça de água e ele queimou.

Depois ganhei dois celulares de vizinhas que estavam trocando de aparelho, um era um bem simples, monocromático. O outro acredito que era da Nokia, já com uma configuração mediana. O monocromático, eu fui em configuração, aumentei o contraste da tela e ficou tudo verde, não sendo mais possível ver as opções. O outro simplesmente pifou. Também ganhei um celular de flip que a tela não era colorida, mas não lembro o que aconteceu com ele. Só sei que já destruí muitos celulares. 

Depois dessa primeira fase sem ter muito o que fazer com um celular. Só tinha com jogar, mandar sms e ligar. Aí finalmente ganhei um celular com mais opções. Aí se poderia gastar mais tempo com outras atividades, como: ouvir música, rádio fm, usar internet, ver vídeos, tirar foto e entre outros. Este foi o “boom” do vício. Onde tudo já começou a ser feito pelo celular. A operadora TIM fiz um plano que poderia usar internet ilimitado por R$0,50 centavos por dia que usar. A partir daí, todo mundo já usava internet. 

Eu tinha ganhado este celular da Samsung, eu já conseguia fazer tudo nele.

samsung j700 celular Ramon Cristian - Minha experiência com celulares

Como sempre fui meio antissocial baixava meios animes, convertiam no Format Factory e via na escola. Tinha um aplicativo maravilhoso que se chamava Snaptu, infelizmente o Facebook comprou o serviço e o desativou. Por causa da maldita obsolescência programada quando o celular completou dois anos, ele simplesmente parou. 

Depois tive um ZTE que também era Java.

zte N290 vivo Ramon Cristian 279x300 - Minha experiência com celulares

Ficava horas tentando achar aplicativo para ele. O chato do Java que para baixar aplicativos, você tem que procurar exatamente o tamanho da tela, então o aplicativo fica “cortado”, mas finalmente achei coisas legais. Tinha um joguinho bem legal, que era de um carinha que tinha que ficar pulando os prédios. A partir daí meu app de internet favorito é o UC. Ele tinha TV digital e era muito bom. Ele parou do nada depois de dois anos. Infelizmente nem a carcaça dele tenho mais, pois a levaram quando invadiram e roubaram minha casa.

Como descobri os sites chineses e já sabia que funcionavam. Na época o dólar estava baixo e então decidi comprar um celular. Demorou por volta de um mês, mas por sorte não fui taxado, era difícil algo ser taxado, pois a demanda dos brasileiros era muito grande e tinha poucos funcionários na receita federal. Comprei uma marca desconhecida, mas decidi arriscar. Juntei dinheiro do meu estágio do INSS e comprei. 

Ele era maravilhoso, durou comigo quase quatro anos. Não foi mais tempo porque fui roubado. Como sou bastante descuidado, ele estava todo quebrado, pois deixei ele cair no chão várias vezes. Foi minha primeira com Android. O nome da marca é Zopo, este modelo é o ZP900.

zopo zp900 china brand ips android mobile phone Ramon Cristian 300x180 - Minha experiência com celulares

Só o vídeo dele que não era muito bom e com o tempo a memória não foi aguentando as novas atualizações mais pesadas dos aplicativos. Na minha sala, fui um dos primeiros a ter um celular com Android e paguei bem barato em comparação aos modelos que tinha no Brasil. 

Hoje basicamente o mercado se resume ao IOS da Apple e ao Android. Vamos ver como vai ser o mercado daqui alguns anos. Vários analistas falam que não vão existir mais smartphones em um futuro próximo, que a tecnologia vai estar no corpo, se integrando ao nosso ser. 

Ramon Cristian

Estudo Ciências Econômicas na UFES. Sou apaixonado pela cultura asiática. Pretendo ensinar, mas sem deixar o espírito empreendedor de lado. Quero me especializar na área financeira ou desenvolvimento econômico. Sou fascinado por todos os temas que mostram a expressão humana, como arte, literatura, cultura e moda.