Skip to main content

A maturidade está demorando mais para despertar

Avalie este post

Algo muito visível na sociedade em que vivo é que as pessoas estão demorando mais para atingir o patamar do que é considerado maduro. Muitas vezes não há muita diferença daquelas que estão na casa dos vinte ou trinta com um adolescente de quinze anos. Pessoas de vinte cinco anos estão tão dependentes dos pais como alguém de treze.

Isso ocorre por causa da recessão, onde o processo de independência financeira (e emocional) se torna mais difícil. Muita gente quer morar com a família para poder economizar dinheiro. Às vezes, os pais não querem aceitar que seus filhos cresceram. Enxergo que um fator que tem muita influência, é o fato de ter filhos. Quando um ser humano tem filhos, é necessário pensar em outras pessoas além de si. Se responsabilizar por alguém é um processo que acarreta um desenvolvimento de maturidade muito grande. 

Em gerações passadas, na casa dos vinte e dos trinta, grande parte da sociedade já tinha conhecido a maternidade/paternidade. Parte da geração atual com vinte ou trinta, pensa em terminar os estudos, ter um bom emprego e estabilidade. Ter filho com dezoito ou dezenove já é considerado uma espécie de escândalo e quem tem filho nessa idade (ou abaixo disso) é visto como irresponsável. 

Ter relacionamentos parece mais difícil, muitos nem namorando estão. Por causa das fantasias que são colocadas dentro das nossas cabeças, muitas vezes nos iludimos e colocamos uma meta irreal. É difícil para muita gente pensar em uma vida onde terá que cuidar de outro ser. Nem todos querem esta sensação ou estão preparados para isso.

Vivemos uma geração onde queremos todas as facilidades em mãos. Tudo parece tão mais fácil e acessível, usar o tempo com certas atividades não parece útil. Será que a individualidade nos deixa menos maduros? Ou esse conceito de maturidade posto é que deve mudar?

Ramon Cristian

Estudo Ciências Econômicas na UFES. Sou apaixonado pela cultura asiática. Pretendo ensinar, mas sem deixar o espírito empreendedor de lado. Quero me especializar na área financeira ou desenvolvimento econômico. Sou fascinado por todos os temas que mostram a expressão humana, como arte, literatura, cultura e moda.