Skip to main content

Lidando com relacionamentos

Avalie este post

Ao longo da vida, o ser humano vai ganhando e perdendo conexões. Neste momento estou me sentindo muito emotivo e quis falar sobre relacionamentos. Fui uma pessoa que passou por várias mudanças de endereço. Isso fez com que eu não criasse raízes em um lugar determinado. Existem pessoas que tem os mesmos amigos de infância, a mesma casa, a mesma cama, o mesmo tudo. Mesmo tendo dezoito anos percebo os laços sociais feitos e os que foram se desfazendo. É aquele amor não correspondido, um familiar que nunca mais dei uma palavra e aquele colega de sala que nunca mais entrei em contato depois que fomos para turmas diferentes. Percebi este processo não apenas na minha vida, como na vida da minha mãe e com menos intensidade na vida do meu irmão. Há também aquelas expectativas fantasiosas, quando você planeja um relacionamento e espera receber um carinho que nunca acontece. Fico pensando se este é o processo natural, ou se o problema é eu. Questiono se é o meu jeito de ser que afasta os outros. Uns dos momentos mais dolorosos são as amizades que terminam e as paixões que acabam parando em lugar nenhum.

Com o tempo percebo que o fator social é algo que não tem como evitar. Nós humanos temos necessidade de fazer parte de um grupo social para se sentir mais confortável, acredito que isso é algo instintivo como um ato de sobrevivência. É importante viver intensamente seus relacionamentos, aproveitar as amizades e não ser egoísta, gastar um pouco do tempo em prol do outro não é perda de tempo. Se tudo chegar ao fim, o melhor não é ter contato, retire tudo da pessoa das suas redes e siga em frente. Nossos caminhos dependem apenas de nós mesmos, se os caminhos não se cruzaram, apenas aceite, não podemos ficar inertes na vida se quisermos nos desenvolver. 

Ramon Cristian

Estudo Ciências Econômicas na UFES. Sou apaixonado pela cultura asiática. Pretendo ensinar, mas sem deixar o espírito empreendedor de lado. Quero me especializar na área financeira ou desenvolvimento econômico. Sou fascinado por todos os temas que mostram a expressão humana, como arte, literatura, cultura e moda.