Skip to main content

Hoje ouvi o que necessitava ouvir

Avalie este post

No relato passado disse que tinha um sentimento de solidão que não se transformou em tristeza. Hoje estou escrevendo esse texto no começo da tarde. Aconteceu coisas muito boas para me conhecer melhor. 

Por alguns meses estava tentando lutar comigo mesmo na hora de dormir. Queria muito dormir de barriga para cima, mas quase nunca consegui dormir nessa posição. Antes conseguia meditar deitado com a barriga para cima e com o corpo esticado, me imaginava em um oceano e sentia meu corpo balançar na água. Era uma sensação bem gostosa, sentia meu corpo subindo e descendo de maneira bem leve. Depois de um tempo não tive mais essa experiência, parece que meus pés e minha cabeça não ficam “leves”, apenas a parte mais central do corpo. Vi que era hora de aceitar a minha posição de dormir. Normalmente eu durmo com a cabeça virada de lado com o barriga encostando na cama, minha cabeça fica em direção a parede mais próxima. Nunca consegui dormir em rede, se eu ficar muito tempo em uma já começo a me sentir enjoado.

Quando não estou do modo que fico confortável, posso demorar duas ou três horas tentando dormir.  Por dormir a vida de um jeito, um lado do meu rosto é visivelmente mais marcado, queria descansar o corpo com a barriga virada para cima para não ficar muito marcado e ser menos assimétrico. Mas estou deixando essa vaidade morrer, o mais importante é me sentir bem e descansar. No final dessa luta contra meu corpo, eu estou perdendo qualidade de vida e reduzindo as horas de sono que posso ter. 

Estou usando outra técnica na hora de deitar. Antes procurava imaginar um ambiente externo de mim e assim sentir meu corpo relaxar. Agora quero dormir na posição que me sinto confortável e focar na respiração. Quando inspiro e expiro me imagino sendo inundado por água ou energia. Espero que essa técnica funciona e regule meu corpo para me sentir descansado e com a energia reposta. 

Hoje fui almoçar no restaurante, lá estava lotado de gente. Fiquei preocupado e queria sentar em uma mesa vazia. Ficar em uma mesa com algum desconhecido me deixa um pouco ansioso. Vi umas pessoas que conhecia da geografia e me sentei com eles. É incrível como atraímos aquilo que pensamos. Eles falaram de alguns sentimentos que também estou sentindo e vi que alguns padrões são mais coletivos que eu pensava. Percebi através deles o que o Deus (ou o Universo, a nomenclatura não importa, apenas a presença) quer que eu faça.

Devo ver a minha realidade e transformá-la, tudo depende de mim, não do ambiente externo. Preciso ler mais, sinto que por ficar tempo demais em redes sociais, absorvi muitas coisas tóxicas de pessoas frustadas que despejam na internet todas as suas amarguras. A ansiedade de encontrar outras pessoas para fazer amizades leva a caminho nenhum. Eu já tenho amigos, seria mais interessante fortalecer essas amizades e mostrar que me importo com essas pessoas com quem convivo. 

Ainda hoje espero aprender mais, poder compartilhar e registrar esses momentos tão especiais que estão me enchendo com sentimentos bons e jogando fora o que não necessito. 

Ramon Cristian

Estudo Ciências Econômicas na UFES. Sou apaixonado pela cultura asiática. Pretendo ensinar, mas sem deixar o espírito empreendedor de lado. Quero me especializar na área financeira ou desenvolvimento econômico. Sou fascinado por todos os temas que mostram a expressão humana, como arte, literatura, cultura e moda.