Skip to main content

Fome na cidade, escassez, bebê e fuga para a fronteira

Avalie este post

Tive um sonho bem estranho, não é um tipo de sonho que tenho frequentemente. Sonhei que estava em um país que falava espanhol e tinha uma arquitetura parecendo um lugar da América do Sul ou Caribe. Por algum motivo este país estava em guerra ou em um cenário pós-guerra. De algum forma sabia que as pessoas ali estavam passando necessidade. 

Tudo indica que eu era um estrangeiro no local. Vi que estava em uma espécie de oficina com outros rapazes consertando um carro ou alguma máquina. Duas moças muito bonitas estava na frente da loja, dava para ver pois a porta de enrolar de aço da oficina era esburacada. Alguém destrancou o lugar e deixou elas entrarem. Elas tentaram assaltar o local, quando viu que elas não iam conseguir, uma delas começou a se cortar em uma tentativa de suicídio. Alguém a segurou. Falei que ia ajudá-las, pois sabia como fugir pela fronteira. Mostrei uma rota que ninguém conhecia, acredito que elas tentaram chegar até o local indicado. 

Depois me vi com um bebê que tinha muito amor e atenção. Olhava para aquela criança como se fosse o motivo da minha vida. Fui com alguém um supermercado, como fossemos super privilegiados de estar ali. Comecei a chorar falando que poderia sair daquele lugar, mas não queria deixar para trás pessoas que amava. Vi que estava de manhã em um quintal de uma casa que a vizinhança estava com as faixadas todas destruídas, meu objetivo era montar uma bicicleta. Por que queria montar uma bicicleta em uma lugar super perigoso?

Em um anoitecer estava na rota que tinha mostrado para aquelas duas mulheres. Era uma grande fazenda onde tinha dois homens armados. Conseguimos passar o território sem os dois homens nos ver. 

Em outra cena estava em um carro em um lugar que parecia totalmente diferente. Nós chamávamos muita atenção, todas as pessoas ali olhavam para nós dentro do carro. Parecia bem frio e estava com o tempo bem fechado. A maioria das pessoas da cidade tinham a pele bem clara. Tinha algumas pessoas negras e indígenas. O povo daquele lugar parecia ser bem pacífico e com uma convivência muito boa. 

Passei por uma espécie de parque cheio de crianças com seus pais. Fomos para um shopping, mas tinha uma coisa estranha nele, para acessar o espaço tinha que descer por espécie de bastão. Acessei outro espaço, mas não lembro o que aconteceu depois. 

Ramon Cristian

Estudo Ciências Econômicas na UFES. Sou apaixonado pela cultura asiática. Pretendo ensinar, mas sem deixar o espírito empreendedor de lado. Quero me especializar na área financeira ou desenvolvimento econômico. Sou fascinado por todos os temas que mostram a expressão humana, como arte, literatura, cultura e moda.