Skip to main content

Convivência com amigos, intimidade e comportamento

Avalie este post

Pode parecer um clichê, mas é a mais pura verdade que se pode conviver anos com as pessoas e não as conhecê-las de verdade. Com o tempo é natural que se tenha mais intimidade com as pessoas com que se passa mais tempo, mas esta decisão pude perceber que pode ser muito arriscada e não vale a pena. Todo ser humano deve ter valores morais para ter um guia durante a vida, percebi que tenho amigos que não tem esses valores e são totalmente divergentes deles e pensava que poderia conviver com eles sem problema algum. 

Percebi que foi um erro fazer brincadeiras sarcásticas e que essas no fundo são tomadas a sério. É melhor ser o mais discreto o possível, agir como profissional. É muito difícil a convivência quando os atores envolvidos tem um padrão de consumo totalmente diferentes. 

Estava a pensar e é preciso mudanças de comportamento. Aprender a dizer não é uma tarefa muito importante que é necessário ser exercitado. Universidade não é ensino fundamental e médio. É uma reputação profissional que está em jogo. É um período que pode definir muita coisa na vida. Neste momento percebi que há um divisor de águas. Muita gente vai se dá mal na vida, pois não perceberam que são adultos e agora são responsáveis por seus atos. E há aqueles que são firmes no propósito e batalham até o final para chegar nos seus objetivos.

Devo me alinhar com as pessoas que levam as coisas a sério e querem ter o controle da própria vida, não sendo dependentes do que os outros querem. Perder o medo de ficar sozinho é essencial para seguir minhas próprias ambições e não ficar preso ao que não me importa. Não quero ter vergonha do eu sou, só porquê a sociedade se vee diferente de mim. Uma lição: Não dar pistas sobre minha vida a quem não tenho confiança e não achar que meus sonhos são inúteis só porquê os outros acha isso.  

Ramon Cristian

Estudo Ciências Econômicas na UFES. Sou apaixonado pela cultura asiática. Pretendo ensinar, mas sem deixar o espírito empreendedor de lado. Quero me especializar na área financeira ou desenvolvimento econômico. Sou fascinado por todos os temas que mostram a expressão humana, como arte, literatura, cultura e moda.