Skip to main content

Complexo de beleza

Avalie este post

Quando criança eu não me enxergava feio e não tinha nenhum problema com aparência, mas isso começou a mudar depois que entrei na pré-adolescência. Não só as mulheres, mas os homens também sofrem pressão social por causa das aparências. Ouvia comentários maldosos falando se tivesse tais traços no rosto eu seria bonito, que meu nariz é estranho, minhas orelhas são muito grandes, sobre minha altura, que sou magro demais. Na época que tinha o cabelo maior, que homem não poderia ter o corte daquela maneira. Tem a pressão que você tem que fazer academia para ter o corpo aceitável. Atualmente tenho 18 anos, já falaram que é estranho eu ser tão novo e o cabelo começar a ficar mais ralo. Eu sinceramente já chorei, falei para a minha mãe por que não escolheu alguém mais bonito para eu ter nascido bonito (Antes que estranhem, não tenho um bom relacionamento com meu Pai). Esta questão de beleza que me atormenta se mesclou com os padrões coreanos. Eu vi um programa chamado Let me in. Este programa me deu um fio de esperança ao ver aqueles resultados fantásticos de cirurgias plásticas.

Comecei a colocar na minha mente que precisava daquilo. Por que o nariz afilado, pele branca e os fios loiros é algo bonito? Por que o nariz negroide, pele negra, cabelo crespo não é bonito para a sociedade?

Entrei em grupos de cirurgias plásticas e alimentei mais este sonho de ser aquilo que nunca fui. Ser visto como alguém belo em que as pessoas olhassem para mim com olhos mais amáveis e agradáveis, sei que é tudo falsidade, mas quem não quer se sentir bem perante os demais? Muita gente critica os famosos que se submetem a plásticas. Sabe por que eles fazem isso? Porque serão mais criticados por ter o nariz considerado grande demais, por ser velho demais ou por ter os seios pequenos. Pessoas como eu que recebem enxurradas de críticas ficam abaladas. Tem gente que entra em depressão, se joga no exibicionismo ou não suportam tanta pressão e fazem coisas extremas que podem levar até a morte. Tenho outras prioridades da minha vida, como estudar e ter profissão. Mas este desejo de mudar ficou tão arraigado em mim, que acredito que fica difícil de cortar. Criei barreiras mentais muito fortes, fico pensando se eu tiver filho se ele vai nascer mais bonito para ter uma vida mais tranquila. Não tenho nenhum orgulho em expressar isso, mas me imagino branco, cabelo liso, alto, bonito, dentes alinhados e nariz afilado. Como será que os outros iriam me tratar? Também me tornei espelho dessa sociedade opressora, querendo descendentes com estas características mencionadas. Depois que tiver uma condição financeira melhor pretendo fazer otoplastia, rinoplastia , talvez refazer o maxilar, tomar anti-hormonal para ver se recupera o cabelo e clarear de pele. Tomara que daqui alguns anos estes pensamentos mudam, se não, não quero viver assim e morrer com esta angústia que eu sou um nada perante o grupo social que estamos inseridos. Infelizmente minha razão não consegue ser mais forte que as influências que me bombardearam até aqui. Por favor, não espalhe seu ódio para deixar as pessoas doentes. Se você tem elogios para dar, que bom, isso vai alegrar muitos corações. A negatividade guarde para você mesmo, ajuda quebrar este ciclo de pessoa sem auto-estima. Não crie mais gerações que não são confidentes com sua aparência.

Pode parecer confuso e turbulento este texto, mas é isso mesmo. Sou um ser confuso buscando um lugar no mundo.

Ramon Cristian

Estudo Ciências Econômicas na UFES. Sou apaixonado pela cultura asiática. Pretendo ensinar, mas sem deixar o espírito empreendedor de lado. Quero me especializar na área financeira ou desenvolvimento econômico. Sou fascinado por todos os temas que mostram a expressão humana, como arte, literatura, cultura e moda.