Skip to main content

Como viver com pouco dinheiro

Avalie este post

Não fui uma pessoa que nasceu em uma família bem estruturada e nem boa de finanças. Este foi um dos motivos para eu fazer Economia, pois queria entender esta situação. Sei que muita gente vive da mesma forma. 

Estou longe de casa e tive que aprender a controlar as minhas finanças. Vivo no fio da navalha, pois tenho que controlar cada centavo para poder fechar as contas no fim do mês. Parte dos gastos tenho ajuda da minha mãe e a outra parte cubro com o dinheiro que ganho do auxílio e da bolsa que recebo. 

Tenho que pagar aluguel e energia. Além dos custos com alimentação. Infelizmente não consegui trabalhar ainda, a graduação suga muito o tempo e é difícil conciliar. Me organizei para que na metade do ano que vem, minha vida universitária esteja mais organizada para poder começar desenvolver a parte profissional. 

Vou ser bem sincero no que tenho que fazer para que conseguir economizar. Lembrando que não posso me dar o luxo de nada e tenho que viver no extremo.

1- Não sair com os amigos a lugares que precisa gastar

Parte dos meus amigos são tipos de pessoas que não sabem controlar os gastos. Alguns deles têm a renda muito mais elevada que a minha, então seria um sacrifício financeiro para mim tentar acompanhá-los. Por pressão as vezes sedia. Não queria ficar sozinho, por isso acompanhava-os e íamos comer em algum lugar perto da universidade. Mas se quero economizar para realizar planos futuros, não é recomendável ficar fazendo essas coisas. Decidi que devo ser mais rígido, mesmo que seja difícil e recusar os convites. 

2- Ir no supermercado semanalmente

Esta dica dou para quem não tem custo de transporte para ir ao supermercado. Compre apenas o que necessita para a semana, assim evita o desperdício. Indo toda semana nos supermercados, dá para ter uma noção melhor os movimentos dos preços. Agora fico de olho na data de vencimento dos produtos, pois dessa forma posso saber quando poderá ter uma promoção.

Para economizar sou bem radical. Não compro carne, tento substituí-la por alimentos mais baratos. Tentei incluir diversidade de frutas na minha alimentação, só que fazendo as contas não ia ficar dentro do orçamento. Agora escolho frutas baratas, como algumas variedades de banana, maça e mamão (não gosto muito dessa fruta, mas estou aprendendo a comer novas coisas). Tenha uma lista de compras e faça uma planilha. Uma dica é importante é fazer compras com a barriga cheia, já fui com fome no supermercado e comprovei empiracamente que o momento de compra foi menos racional.

3- Lidando com comida

Tem momentos que dá muita vontade de comer algo. Para quem vive com pouco dinheiro, sabe como é ruim ter que controlar muito rigidamente na hora de gastar com alimentação. E tem que ser assim mesmo. Para a vida não ficar deprimente, compre algo que goste muito uma vez por mês e só. Não deixe seus desejos e que o emocional afete os seus gastos, tente ser o mais racional possível para poder enxergar a sua situação atual. 

4- Mudando de vida

Faça com que no longo prazo seus rendimentos aumentem. Eu escolhi o caminho da educação, pois acredito que qualificação dê melhores conquistas para o futuro. Tente buscar cursos profissionalizantes, ensino técnico ou continuar os estudos. Algo que poderá fazer para não manter um ciclo de pobreza é um planejamento familiar. É difícil cuidar de nós mesmos, imagine ter um filho. Quem está numa condição ruim e tem filho(s)/filha(s), o melhor é evitar e não ter outro(a). 

Algo que corrói a vida das pessoas é o vício e uma rotina pouco produtiva. É muito difícil uma mudança radical, a maioria das coisas para funcionar é através de mudanças gradativas. Coloque pequenas metas durante um período e vai expandindo suas tarefas. Tente limitar os vícios e eliminá-los. Reflita sobre os malefícios de ter um determinado estilo de vida e pense como tudo seria melhor se algumas atitudes fossem mudadas.

5- Com a restrição de gasto fazer uma pequena poupança

Para quem busca e acredita em dias melhores, este mal momento financeiro pode ser uma aprendizagem. Quando sair dessa fase, em um momento de prosperidade, se aprenderá a cuidar melhor dos ganhos. Mesmo que seja muito difícil, tente juntar um dinheiro por mês, mesmo que seja bem pouco. 

6- Consumo consciente

Sacrifique todos os supérfluos e consuma menos serviços. Tenha tudo calculado para não ter surpresas no final do mês. Saiba que no longo prazo, qualquer valor economizado somado por vários dias, dá uma diferença enorme. Veja a sua realidade e não tente ficar comparado com os outros. Todos tem uma história diferentes e tiveram que correr caminhos distintos. 

7- Cuidado com as influências

Deve-se tomar muito cuidado com aquilo que estamos expostos. Uma vizinha pode querer vender um produto, uma propaganda vai querer mostrar que existe um produto maravilhoso e um parente quer te convencer a comprar algo. Evite tudo isso e tenta seguir um estilo de vida o mais minimalista o possível. 

Ramon Cristian

Estudo Ciências Econômicas na UFES. Sou apaixonado pela cultura asiática. Pretendo ensinar, mas sem deixar o espírito empreendedor de lado. Quero me especializar na área financeira ou desenvolvimento econômico. Sou fascinado por todos os temas que mostram a expressão humana, como arte, literatura, cultura e moda.