Skip to main content

Carnaval – A anestesia do vazio

Avalie este post

Ainda não consigo entender muito bem esta histeria por causa do carnaval. Para algumas pessoas é a época mais esperada do ano. É um período onde muita gente aproveita para beber, se drogar, fazer sexo com desconhecidos e etc como se não houvesse amanhã. 

A verdade é que, por saberem que existe um possível perdão de um Deus ou uma divindade superior, se tem a crença que se terá o perdão. Muita gente fica no caminho errado, pois no contexto social acredita-se em um refúgio. Este refúgio pode ser uma igreja, templo, centros, entre outros. Isso é duro, mas os hábitos dessa sociedade são esses. Somos totalmente responsáveis por nossos hábitos e recebemos de volta tudo aquilo que fazemos. 

Por viverem uma vida infeliz e sem rumo, acontece que, certos indivíduos tentam anestesiar o vazio existencial. Claro que existem pessoas que são responsáveis que aproveitam essa festa, buscam uma forma de diversão, mas fazem tudo com moderação. Mas sabemos que parcela da sociedade não tem responsabilidade, infligem regras e não cuidam nem do próprio templo (o corpo). 

Outra coisa que fique marcante nessas festas, que abrangem várias camadas da sociedade, é a evidência que estamos em estado de guerra. Todo o tipo de comparação fique evidente e o esforço para parecer melhor é muito grande. Exemplos de competição social: Quem fica com a maior quantidade de pessoas, quem tem mais relações sexuais, quem bebe mais, e etc. Muitas dessas competições não parecem ser atitudes saudáveis, às vezes alguns indivíduos nem estão se sentindo confortável fazendo certas coisas, mas são feitas para não haver uma negação social. Acho muito engraçado e estranho ver vários e vários foliões que estão sob efeito manda e nem se dão conta disso. 

A festa da carne é um momento perfeito para analisar como as pessoas se comportam. 

Ramon Cristian

Estudo Ciências Econômicas na UFES. Sou apaixonado pela cultura asiática. Pretendo ensinar, mas sem deixar o espírito empreendedor de lado. Quero me especializar na área financeira ou desenvolvimento econômico. Sou fascinado por todos os temas que mostram a expressão humana, como arte, literatura, cultura e moda.