Resenha de tópicos do livro História do Pensamento Econômico

Max Weber: questões econômicas e de metodologia da ciência.

Lucro máximo: Cournot.

Mercantilismo:

  • Começo de monopólios, regulação de preços e salários.
  • Reforma religiosa.
  • Balança de transações.
  • Nacionalismo exacerbado.
  • Aparecimento de Estados Nacionais, e estes Estados são fortes.

Os mercantilistas são atores panfletários (Não é formado uma escola de pensamento econômico).

Cameralismo na Alemanha: respeito a propriedade real. Não focava muito nas relações internacionais, mais as finanças públicas.

Fórmula do bulionismo: proibição na exportação de outro e de prata. Há uma inflação por causa do excesso de moeda na Espanha.

Fichamento do capítulo 1 do livro Lições de economia política clássica

No século XVII a Economia ainda não tinha um nicho específico.

Economia Política: a relação entre os homens na reprodução da vida material.

Economia como ciência surge no século XVIII.

Iluminismo: desenvolvimento da produção e da troca. No iluminismo o homem é senhor da natureza.

Desde a antiguidade já havia traços sobre esta ciência.

A. Racionalismo e iluminismo: as raízes filosóficas.

B. A aristocracia chamava os que tinha formação médica para questões de saúde/economia.

C. Liberalismo: leis econômicas naturais, cuja existência o governo deveria esforça-se por preservar.

Dilema filosófico jusnaturalista: questão da liberdade e da vida social.

Adam Smith fala que o homem possui instinto aquisitivo.

Mercantilismo: defesa da riqueza nacional.

Economia: O campo da produção, da troca e da riqueza.

No século XVIII, a temática fiscal vai perdendo importância. Deixa de ser “ciência do bom governo”. O foco vai para o privado e comercial.

Fisiocratas: riqueza pela terra.

Petty atuou em várias áreas do conhecimento. Criou uma disciplina chamada Aritmética Política.

Os bens também são riquezas, não só o dinheiro.

Valor-trabalho: processo de monetização.

 

Iniciando mais uma saga na academia

Finalmente consegui ter coragem para iniciar a fazer exercícios na academia novamente. Tinha conseguido uma vaga na academia da UFES que é uma coisa quase que impossível (principalmente pelo fato da mensalidade ser R$30). Tive que sair, pois comecei a estagiar, como lá é muito lotado, não consegui outro horário, os horários são marcados, não pode chegar a qualquer momento e usar os aparelhos. 

Decidi me inscrever em uma academia do bairro. Perto da minha casa tem duas academias, uma é R$120, mas tem uma melhor infraestrutura e a outra é R$100. Escolhi a mais barata. Nos bairros próximos e não tão próximos assim o valor é a partir de R$100 ou mais reais. Nas cidades vizinhas de Vitória dá para achar mensalidades mais baratas, só que as coisas na capital tendem a ser mais caras. A academia Smart Fit tem um plano mais barato, mas tem taxa disso, taxa daquilo, não quis me estressar e ter dor de cabeça com isso. 

O pessoal da academia que me inscrevi pegou pesado comigo, não estava aguentando de tanto dor que senti nos três primeiros dias. Senti tanta dor, que no quarto dia nem fui, preferi ficar em casa. Depois desse descanso, minhas dores diminuíram uns 90%. Fui no quinto dia (contando a data da inscrição) e foi mais tranquilo. 

Agora se tudo se manter estável, pretendo fazer exercícios constantemente. Quero investir em saúde, uma das melhores formas de não ficar doente é a prevenção e exercitar o corpo é uma maneira de se manter mais saudável. Não tenho pressa, com o tempo meu corpo mais se desenvolvendo. Não pretendo ficar neurótico com alimentação. Vou manter a mesma dieta que estou seguindo e não pretendo tomar suplementos. Tenho um pouco de receio dessas substâncias, atualmente nem vitaminas mais estou tomando. Um registro de cinco dias de academia:

Posso estar realizando uma postagem de mudança corporal mensalmente. 

Como foi praticar Yoga pela primeira vez

Uns dias atrás, fui para uma aula de Yoga, no parque Pedra da Cebola que fica em Vitória-ES. Foi a primeira vez que pratico este tipo de exercício. Percebi que o estilo das pessoas presentes no local são diferentes do tipo de pessoas que lido no meu cotidiano.

Paguei um mico no início das aulas, a professora pediu para fechar os olhos e respirar. Fiz como ela disse, depois ela começou a passar algumas posições, mas eu ainda estava de olhos fechados, tentei seguir os movimentos apenas pelo o que ela estava falando, permaneci de olhos fechados. Todo mundo estava em uma posição, só eu que não. Abri os olhos, vi que já era para ter abertos os olhos e executar os movimentos passados. Nesse momento me deu uma vergonha alheia e queria sair fugindo dali. Mas depois que me situei, consegui me ajustar no fluxo. Outra coisa que me incomodou é que todo mundo tinha levado canga ou tapetinho de Yoga, só eu que levei uma toalha para colocar no gramado.

Teve alguns movimentos bem interessantes, pois olhei para certos ângulos que nunca tinha olhado antes. O objetivo era aliviar a tensão, mas me senti muito mais tenso, pelo fato de ter levado uma toalha e também por ter feito várias posições erradas. Tentei retirar estes pensamentos da minha mente, focar no vazio, na respiração e me concentrar no que a professora esta falando. Ela poderia ter me dado um toque, para eu abrir os olhos ou ter falado que era para abrir os olhos pois íamos ter que observar o que era para fazer. 

Acredito que foi deixar o Yoga para outro momento. Decidi fazer academia, caminhada e corridas para retirar o corpo da inércia, em outro momento faço alguma coisa coletiva, não estou preparado para isso nesse momento. 

 

Tia Ciata – Um filme que me fez emocionar

Eu fui no 24º festival de cinema de Vitória que foi sediado no teatro Carlos Gomes. Vi os curta-metragens da 2ª mostra Cinema e Negritude. O ambiente estava muito bem organizado e muito aconchegante. Primeiro estava tendo uma apresentação e alguns atores e produtores dos filmes falaram na frente do palco. A apresentadora fez o agradecimentos e anunciou os patrocinadores do evento. 

Antes de começar os filmes, foi exposto alguns comerciais das empresas patrocinadoras. O comercial da Petrobrás estava maravilhoso, até arrepiei de tão bom que foi a produção. O filme Tia Ciata lembrou um pouco da minha própria história. Nós vivemos em um país onde maior parte da população é negra e mestiça, mas a cultura afrodescendente é excluída das mídias tradicionais. 

Foi imposto aos negros uma nova forma de vida, com a intenção de tentar apagar o passado e a riqueza que os antepassados africanos nos deram de ensino. Tia Ciata foi uma mulher influente, que não se deixou abalar pela censura. Vi como a dança, a música e os contos são formas de viver em comunidade, unir os laços e viver a vida com mais alegria. Fiquei mais sensível sobre o surgimento de músicas nacionais. Tia Ciata deu uma grande contribuição para o Samba. O Samba é uma forma de expressão, que mostra a história, as lutas e as alegrias do povo. Senti algo diferente, no filme mostra um olhar mais humano e menos comercial (como é vendido o samba no Carnaval que passa na televisão na atualidade).

Foi muito interessante ouvir de mulheres negras quais são as dificuldades das mulheres negras. O filme tem cenários simples, mas com uma riqueza exuberante. Parabéns a todos que produziram este material de excelente qualidade. Ir nessa amostra expandiu mais minha consciência, me mostrou que o Brasil produz e tem condições de produzir conteúdo de excelente qualidade.