Skip to main content

A NASA não existe? Introdução ao pensamento islâmico

Avalie este post

Pela primeira vez conheci uma pessoa que questiona instituições dos Estados Unidos, como a NASA. Nunca tinha conversado com alguém que seguia o islamismo e que questionasse algumas coisas.

nasa logo existe - A NASA não existe? Introdução ao pensamento islâmico

Quem está no Brasil está acostumado ao pensamento ocidental e dá um choque cultural ouvir alguma coisa diferente. Não generalizando, mas realmente parece que eles (seguidores do islamismo) odeiam os Estados Unidos e Israel. Dá até um pouco de espanto ouvir alguns argumentos pessoalmente.

Deu até curiosidade de ir em um país árabe para conhecer a cultura e saber como as pessoas pensam. Alguns pensamentos muito consolidados para quem está no Ocidente parece ser algo muito duvidoso para quem tem outras influências. 

Vi que tenho que tomar mais cuidado com determinados assuntos, algumas coisas que não são sensíveis para mim, pode ser sensível para outras pessoas. Eu gosto de ouvir o que os outros tem a falar sobre determinados assuntos. 

As pessoas dos Estados Unidos pensam que os muçulmanos são os maus, mas as pessoas do mundo árabe pensam que eles são os maus. Na verdade, não existe o mal e o bom, cada um luta defendendo os seus ideais. Deve ter muita diferença entre os países árabes africanos e os países ricos do oriente médio. Não sei se uma pessoa dos Emirados Árabes, por exemplo, vai duvidar da existência da NASA e tem certo nível de ódio pelo Ocidente. 

Eu e este outro rapaz temos uma visão totalmente diferente sobre determinados assuntos. Nossa perspectiva de futuro tem algumas discrepâncias. Convivendo com pessoas diferentes, fica claro como a sociedade molda nossos pensamentos. 

Ficou muito evidente para mim a influência da religião (ou a ausência dela). Quando estamos imersos em uma sociedade, grande parte dos indivíduos dele absorve tais elementos delas como natural. Quando algo de fora é introduzido, a primeira reação é a estranheza. 

Para mim desde muito cedo nunca duvidei das instituições dos Estados Unidos, mas nunca poderia imaginar que isso não fosse tão empírico e natural para os outros. 

Ramon Cristian

Estudo Ciências Econômicas na UFES. Sou apaixonado pela cultura asiática. Pretendo ensinar, mas sem deixar o espírito empreendedor de lado. Quero me especializar na área financeira ou desenvolvimento econômico. Sou fascinado por todos os temas que mostram a expressão humana, como arte, literatura, cultura e moda.